Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

16 de abr de 2007

Prefeito e seus filhos, advogado e dentista, agridem ex-vereador

MONTALVÂNIA - Na noite do último dia 12/04/07, Segundo o Boletim de Ocorrência Nº 268/07, o Prefeito de Montalvânia, JOSÉ FLORISVAL DE ORNELAS e seus filhos FABRÍCIO FALCÃO DE ORNELAS (Assessor Jurídico do Município) e FLÁVIO FALCÃO DE ORNELAS (dentista do município) se desentenderam com o Ex-vereador e adversário político quando chegaram em frente a uma churrascaria rua Zoroastro, no centro daquela cidade.
Foto: Blog Luís Cláudio Guedes

Tudo começou, segundo o Boletim de Ocorrência, quando o ex-vereador se dirigiu ao banheiro e, ao passar próximo à mesa onde se assentaram o prefeito e seus filhos, este deu um chute na canela do ex-vereador. Imediatamente se juntaram ao prefeito seus dois filhos e desferiram vários socos e pontapés contra o ex-vereador.
A polícia foi acionada e deteve o ex-vereador Euzébio Lessa Marinho, que passou a noite na delegacia, acompanhado de familiares e advogado, aguardando laudos médicos e prestando suas declarações, sendo liberado na madrugada do dia 13/04/07.
Segundo informações, o ex-vereador e o prefeito sempre se desentendem.

A princípio por causa de uma ação de cobrança em que o prefeito cobrava do ex-vereador por um JEGUE que a ele tinha vendido. Depois, porque logo que assumiu o primeiro mandato em Montalvânia/MG, o prefeito passou a perseguir servidores públicos que não o tinham apoiado nas eleições, chegando a transferir a esposa do ex-vereador (professora) para três locais de trabalho diferentes num prazo de 30 (trinta) diass e, por fim, exonerando a professora.
Até hoje a professora aguarda o julgamento de ação de reintegração ao cargo na Justiça Comum, em Montalvânia/MG.
Leia também:
Ornelas vai a Tribunal explicar nepotismo AQUI

Nenhum comentário: