Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

28 de abr de 2007

1º Festival de Cultura e Arte Negra de Montes Claros

De 04 a 20 de maio, acontece em Montes Claros, o Primeiro Festival de Cultura e Arte Negra, o FECAN, com Dança de Rua, Dança Afro, Grafite, Percussão e Artes Plasticas.
A promoção é dos grupos Consciência Negra Tambores dos Montes, Unegro, Capueirando, Núcleo de Combate ao Racismo e Grucon. As palestras e oficinas acontecem no Sesc, Casa do Tambor e Unimontes e as inscrições para as oficinas, que são gratuitas, podem ser feitas na Secretaria Municipal de Cultura. De acordo com Hilário Bispo, coordenador do FECAN, a expectativa é que a sociedade assimile a proposta do movimento. "Queremos discutir as cotas na universidade, o desempenho do negro no mercado de trabalho e na cultura. Estamos completando 118 anos da abolição da escravidão no Brasil e a data não é para ser comemorada, mas transformada em luta contra o preconceito, não apenas contra os negros, mas contra as mulheres e as crianças", avalia Hilário Bispo.
O FECAN surgiu com objetivo de apresentar várias nuânces da cultura negra como forma de organização e residência, com essa reflexão sobre a atual condiçao do povo negro, devido a sua herança histórico-cultural e a liberdade tão abruptamente violada que deixou sequelas marcantes que permanecem até hoje, passados 119 anos de "liberdação " dos negros e negras.

Nenhum comentário: