Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

31 de ago de 2010

Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa

Revista Veja que chegou ontem às bancas traz reportagem sobre a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de averiguar a utilização de financiamento ilegal, o chamado caixa dois, na campanha de Hélio Costa (PMDB). Matéria traz fotos e citação de políticos envolvidos com o esquema em épocas passadas, entre os quais o prefeito licenciado de Uberaba Anderson Adauto (PMDB).
O relato jornalístico está focado nas viagens feitas pelo candidato em aviões e helicópteros da Helimarte Táxi Aéreo, sem justificar os gastos ao TRE, bem como os responsáveis pelo pagamento.
De acordo com a reportagem, Hélio Costa afirma que a despesa não consta na prestação de contas por ter sido paga pelo PMDB. Contudo, o gasto não aparece na documentação fornecida pelo partido ao tribunal. A omissão foi creditada ao pagamento efetuado uma semana após a remessa dos papéis.
A reportagem desmente a informação, alegando ter tido acesso à nota fiscal das viagens aéreas emitida pela empresa oito dias antes de o PMDB protocolar os documentos do TRE e sete depois de o governador e candidato à reeleição, Antonio Anastasia (PSDB), questionar a origem dos recursos.
A reportagem disse considerar que a situação cedo ou tarde deva ser resolvida, mas cita como “mau presságio”, devido ao fato de a campanha do senador reunir políticos suspeitos e confessos de uso do caixa dois, citando AA como coordenador de campanha e personagem do mensalão.
Ao colocar a campanha na mira da utilização de recursos ilegais, a revista Veja enfoca ter o prefeito licenciado recebido R$ 1 milhão do publicitário Marcos Valério, respondendo a processo por corrupção e lavagem de dinheiro.
No centro da fogueira aparecem Ivan Guimarães, funcionário de confiança do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, e o ex-ministro da Saúde Saraiva Felipe, suspeito de integrar esquema de desvio de dinheiro na compra de ambulância, escândalo conhecido como máfia dos sanguessugas.
Reportagem coloca “nas nuvens” os feitos da administração tucana, apontada em gestão exemplar que recuperou um Estado falido com dívidas próximas a R$ 5 bilhões e um rombo no orçamento de R$ 2,3 bilhões.

Lula para Hélio Costa: "Eu avisei, agora não reclama"


Após resultado das últimas pesquisas, Hélio ligou para Lula pedindo socorro. Lula prometeu ajudar. Lembrando, porém, advertência feita
Leia mais... 

27 de ago de 2010

Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite


O empresário Natalino Gonçalves, que o prefeito chamou de iletrado e empresário de zoológico, disse ao jornal O Norte que gastou dez vezes mais durante a campanha para ajudar a eleger Tadeu, e que só recebeu R$ 25 mil durante pouco mais de um ano como assessor da secretaria municipal de Governo. Disse ainda, que está disposto a devolver os salários recebidos da prefeitura sem trabalhar, “desde que os parentes da mulher dele façam a mesma coisa”. Segundo o Natal, Tadeu tem com ele um compromisso de campanha que jamais foi cumprido, que era o de nomeá-lo para uma secretaria que lhe possibilitasse dar ocupação a cerca de 50 amigos seus que o acompanharam no acordo verbal celebrado em 2008. Depois que assumiu, Tadeu lhe ofereceu a chefia do Mercado municipal Centro, mas ele não aceitou devido a denúncias de corrupção que estaria ocorrendo ali, inclusive com a venda de seis barracas, juntamente com um boxe da Ceanorte.

- Eu fiquei enojado com tudo aquilo, com aquela sujeira em que se transformou o mercado. É claro que eu não iria me queimar... – diz.

Natal confirma o inteiro teor da entrevista que concedeu à revista Liberdade, na qual acusa pessoas ligadas à administração de superfaturar a festa de aniversário da primeira-dama do município. E diz não ver qualquer possibilidade de reconciliação com o grupo do prefeito.

PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa

Alguém lembra da campanha de 2006 quando o PMDB abandonou Nilmário Miranda no meio do caminho? Pois é, o troco está vindo a cavalo. A militância petista que tem vergonha na cara, não tem coragem de sair com bandeirinha do PMDB nas costas, ainda mais para apoiar o candidato a governador Hélio Costa. Ele foi o pior ministro do governo Lula. Quase privatizou os Correios; fechou milhares de rádios comunitárias e mandou prender seus proprietários, tudo com o objetivo de beneficiar seus comparsas. Por isso, na campanha para o Governo do Estado começa descer a ladeira.
Em Montes Claros, por exemplo, mesmo tendo o vingativo, perseguidor e caloteiro (ainda não pagou as rescisões) prefeito comprado meia dúzia de oportunistas do PT, ninguém tem coragem de manifestar apoio à campanha de Hélio Costa. A tendência é o candidato do PMDB perder no primeiro turno. E se for castigo eu quero que triplique.

26 de ago de 2010

Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa

Mesmo após condenado pela Justiça e opinião pública, grupo político continua mantendo práticas consideradas ilícitas. A impunidade incentiva



Inacreditável o que continua ocorrendo através de um grupo político, que nestas eleições migrarão para a campanha de Hélio Costa ao governo de Minas Gerais.
Depois de quase provocarem o impeachment do presidente Lula em seu primeiro mandato, devido aos diversos esquemas irregulares montados nas áreas do governo federal, que culminou com o Valerioduto e Mensalão, esse grupo finalmente voltou a seu ninho. Pois nascera em Minas Gerais.
A forma de agir desse grupo, embora considerada nova, em nada difere do praticado no período dos institutos: IAPI, IAPTEC, IPASE, etc, montado entre o período de Getúlio Vargas e João Goulart, por Segadas Vianna.
Alguém como o atual José Dirceu, com nova designação e utilização do poder dos atuais “Fundos de Pensão”, outrora “institutos de pensão” no tecido econômico nacional.
A quantia em dinheiro que é arrecadada nacionalmente e aplicada por esses fundos mensalmente ultrapassam e muito a arrecadação de estados como Minas Gerais.
Seus “investimentos” espalham-se em empresas e fundos, principalmente do grupo Daniel Dantas, Andrade Gutierrez e outros.
O setor de telefonia, concessões e outros gigantes estão nas mãos destes institutos em sociedade com empresas pertencentes aos “barões” do atual governo.
As principais obras de ferrovias, hidrovias, hidroelétricas são financiadas por esses fundos.
“Empresas como Andrade Gutierrez são apenas “mega lavanderias” e “gigantescas fábricas de citricultoras” em um mercado, que até agora não conseguia penetrar em Minas Gerais”.
A aceitação dessa parceria foi o preço pago por Hélio Costa para ter sua campanha financiada.
Ocorre que esse grupo tem sua própria metodologia para viabilizar dinheiro. O caixa 2 não é uma exceção, é uma prática.
A moeda principal desse grupo são os “benefícios”, distribuídos sempre “por fora”.
Evidente que essa moeda é rejeitada por um plano de contas rígido, montado pela Justiça Eleitoral procurando o máximo de seriedade.
Quem assiste ao desenvolver da campanha em Minas Gerais percebe a dificuldade que a aliança PMDB/PT, tem para colocar a “campanha na rua”.
A Justiça Eleitoral mineira mudou e a fiscalização atualmente é enorme.
A dificuldade do PMDB e PT continua sendo a mesma. Como contabilizar os “benefícios” se todos vêm por caixa 2.
Em tramitação no TRE-MG uma enorme investigação a respeito da utilização em campanha pelo candidato de aeronaves antes da autorização para que o candidato pudesse arrecadar recursos e doações. Segundo acusação, houve caixa 2.
A defesa apresentada pelo advogado da coligação PMDB/PT, Dr. Mateus Moura é que: Quem estava pagando as aeronaves era o partido, não o candidato.
Evidente que essa é uma excelente justificativa, porém, necessário outra pergunta. Se o partido foi quem pagou, o beneficiado certamente foi o candidato, que recebeu tal benefício como doação.
Ocorre que nem doação o candidato naquele período poderia receber.
Fonte: Novo Jornal

Dilma dispara e abre 20 pontos

A candidata do PT a presidente, Dilma Rousseff, manteve sua tendência de alta e foi a 49% das intenções de voto. Abriu 20 pontos de vantagem sobre seu principal adversário, José Serra, do PSDB, que está com 29%, segundo pesquisa Datafolha. Os contratantes do levantamento são a Folha e a Rede Globo.
Realizada nos dias 23 e 24 com 10.948 entrevistas em todo o país, o levantamento também indica que Dilma lidera agora em segmentos antes redutos de Serra. A petista passou o tucano em São Paulo, no Rio Grande do Sul e no Paraná e entre os eleitores com maior faixa de renda.

25 de ago de 2010

A nova derrota da grande mídia

“A se confirmarem as previsões de todos os principais institutos de pesquisa apontando a vitória de Dilma Rousseff no primeiro turno das eleições presidenciais, não serão apenas o candidato José Serra e sua aliança demotucana de oposição os grandes derrotados. Perdem também, mais uma vez, os barões da grande mídia brasileira.
Foram-se os tempos em que eles faziam ou derrubavam presidentes e se julgavam os verdadeiros donos do poder, os formadores de opinião, os únicos proprietários da verdade. Durante os últimos oito anos, desde a primeira eleição de Lula, não fizeram outra coisa a não ser mostrar em suas capas e manchetes um país desgovernado, sempre à beira do abismo.
Em cada estatística divulgada, procuravam destacar sempre o lado negativo, sem se dar conta de que a vida dos brasileiros estava melhorando em todas as áreas, e os cidadãos eleitores percebiam isso.
Fechados em seus gabinetes e certezas, longe do país real, imaginavam que desta forma ajudariam a eleger o candidato da oposição em 2010. Fizeram a sua parte, é verdade, anunciando uma crise do fim do mundo atrás da outra, batendo no governo dia sim e no outro também, mas não deu certo de novo.
Em reunião da Associação Nacional dos Jornais, a presidente da entidade, Judith Brito, chegou a dizer com todas as letras que, na falta de uma oposição partidária, era preciso a imprensa assumir este papel, como de fato fez. Os líderes demotucanos acharam que isto seria suficiente para derrotar Lula e a sua candidata. Acreditarem que o apoio da mídia poderia fazer a diferença, decidir o jogo a seu favor. Que bobagem!
Até a última semana, antes da divulgação das novas pesquisas, o noticiário ainda alimentava o discurso da oposição numa operação casada contra o governo e a sua candidata. Como a vaca da campanha tucana caminhou inexoravelmente para o brejo, num lance desesperado para tentar virar o jogo, José Serra procurou associar sua imagem à de Lula no programa de televisão. Aí foi a vez dos seus aliados na mídia darem um basta e jogarem a toalha: assim também não…
Quem sabe agora tenham a humildade e o bom senso de reconhecer que acabou a época dos formadores de opinião abrigados na grande imprensa, que perde circulação e audiência a cada dia. Novos meios e novos agentes multiplicaram-se pelo país, democratizando a informação e a opinião.
Ninguém mais precisa dizer o que devemos pensar, como devemos votar, o que é melhor para nós. A liberdade de imprensa e de expressão não tem mais meia dúzia de donos. É um direito conquistado por todos nós.”

17 de ago de 2010

Moc investiu irregularmente R$ 1,2 milhão em time de vôlei

O juiz Richardson Xavier, da 2º Vara da Fazenda Pública de Montes Claros, determinou ontem que sejam devolvidos aos cofres públicos municipais R$ 1,230 milhão que a prefeitura da cidade aplicou na fundação de Desenvolvimento Educacional de Montes Claros Ibituruna (Funadem). Além disso, suspendeu qualquer investimento da prefeitura na manutenção do time de vôlei da cidade. O juiz atendeu a uma ação civil pública impetrada pelo Ministério Público. Na manhã de ontem, o prefeito Luiz Tadeu Leite anunciou que recorrerá ao tribunal de Justiça de Minas Gerais para reverter a liminar. Leite afirmou que a ação pode atrapalhar o andamento do time de vôlei, que, como zebra, foi vice-campeão da Superliga Masculina na última temporada.
Os promotores Felipe Gustavo Gonçalves Caires, Flávio Márcio Lopes Pinheiro, José Aparecido Gomes Rodrigues e Paulo Vinicius de Magalhães Cabreira Entendem que o prefeito Luiz Tadeu Leite e o ex-secretário municipal de Esportes, Sebastião Wellington Pimenta de Figueiredo, não poderiam ter feito repasses à Funadem, que tinha como diretor Luiz Tadeu Martins Filho, filho do prefeito. Por isso, não poderia assinar o convênio ou receber qualquer tipo de recursos municipais. Os quatro promotores citam que em 17 de julho de 2009, a Câmara Municipal de Montes Claros aprovou a lei 4.115, autorizando o repasse de R$ 550 mil para a manutenção da equipe, conforme convênio assinado em 31 julho, com empenhos autorizado-res até dia 6 de novembro. Porém, no dia 10 de agosto de 2009, Tadeuzinho, filho do prefeito, assinou Termo de Adesão de prestado de serviços voluntário, em que pelo contrato, define que ele passaria a agir nas atividades de direção da equipe de vôlei ? Projeto Montes Claros ? Funadem. Os promotores salientam que as investigações comprovaram que o filho do prefeito atuou no contato com o público externo do próprio time, sendo inexistente sua atuação como direto perante o público interno, pois pretendia apenas aparecer para o eleitorado.
Na ação impetrada, os promotores salientam que em 6 de maio de 2010 Tadeuzinho se afastou da fundação de diretor voluntário do time e, em 9 de junho, a Câmara Municipal autorizou, por meio da Lei 4.235, o repasse de R$ 900 mil para a Funadem. Segundo eles, a Lei Orgânica Municipal é clara ao proibir contratações do município com os agentes políticos ou parentes próximos e determina que a referida proibição vigore entre o início das funções do agente e seis meses depois do término dessas funções. Eles salientam que não há nenhum problema em repassar os recursos dentro do que determina a lei.
Além disso, reiteram que o MP não pretende impedi o apoio ao esporte em Montes Claros. Outro argumento do MP é que o repasse da verba causa desfalque em outras áreas essenciais dos serviços públicos municipais, como o caos na saúde montes-clarense, que obriga moradores a acionarem a Justiça para obterem o tratamento pelo SUS. Na manhã de ontem, o prefeito explicou que a ação judicial tem como objetivo afetar a campanha do seu filho à Assembléia Legislativa. Segundo ele, há mais de oito anos que o assunto está sendo discutido. Tadeu reclamou que o juiz não tenha convocado a prefeitura para dar a sua versão dos fatos. Para ele, a principal conseqüência é o fim do time de vôlei na cidade.

13 de ago de 2010

Hélio Costa quer demitidos de Lula ao seu lado

Sabatina: Hélio Costa defende equipe dos Correios demitida
Matéria do Novojornal, contestada por partidários de Hélio Costa, torna-se tema principal em sabatina realizada pela Folha

Após quase uma semana de intensas críticas da assessoria do candidato ao governo de Minas, pelo PMDB, afirmando que a matéria publicada pelo Novojornal a respeito do comportamento de Hélio Costa diante da constatação de graves irregularidades praticadas por dirigentes da autarquia Correios, indicados por ele, o que teria gerado um desentendimento com seu vice Patrus, eram “mentirosas”, é confirmada a matéria do Novojornal.
O próprio candidato defendeu, em sabatina realizada nessa quarta-feira (11) pela Folha e pelo UOL, a equipe dos Correios demitida em julho pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Lula seguiu recomendação de Erenice Guerra (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Planejamento), que foram escalados para fazer um raio-X da instituição em junho.

O relatório apontava três problemas:

1) atraso na licitação de 1.429 franquias cujos contratos vencem em novembro e que podem causar um "apagão postal";

2) logística falha;

3) demora na realização do concurso público que atraiu mais de 1 milhão de inscritos.

Leia a matéria completa AQUI no Novo Jornal

No debate promovido ontem pela Band Minas, o assunto demissões de dirigentes dos Correios, por determinação do presidente Lula, esquentou no momento que Hélio Costa foi questionado se pretendia convidar o ex-presidente da estatal Carlos Henrique Custódio a integrar a equipe do governo de Minas caso ele seja eleito. Custódio, que estava à frente dos Correios desde julho de 2006, foi exonerado no final de julho em razão de uma crise na área de logística. Hélio Costa elevou o tom da resposta, chamou de "lobby paulista" que deseja "destruir" os Correios e reafirmou que, se ganhar as eleições, Carlos Henrique Custódio vai compor a equipe de governo. "O presidente dos Correios é um homem de bem. Se eu for eleito governador, ele vem sim". Além de Custódio, Pedro Magalhães, que era diretor de gestão de pessoas e irmão do deputado João Magalhães, do PMDB mineiro, também perdeu o cargo e será braço direito de Hélio Costa. Só para lembrar, o deputado João Magalhães teve envolvimento em um esquema de fraudes em licitações e apropriação de verbas públicas oriundas de emendas parlamentares feitas destinadas a municípios do interior de Minas Gerais, segundo a Procuradoria da República.

11 de ago de 2010

Campanha - Não deixe sua cor passar em branco

Delegada Dolores é presa


Delegada é presa suspeita de desvio de verba de combustível

Pedro Ferreira
Estado de Minas

Acusada de desvio de verbas de combustível, a delegada da Polícia Civil de Diamantina, do Alto Jequitinhonha, Dolores de Oliveira Santos Baleeiro, está presa em Belo Horizonte. Ela foi transferida para a Casa do Policial, na unidade para integrantes da corporação cumprirem pena na Rua Pitangui, Bairro Horto, Região Leste da capital.
A denúncia contra ela foi apurada pelo Ministério Público e a Justiça concedeu a prisão preventiva da policial. Além dela, responde ao processo Gelson Teixeira Fernandes.
Uma integrante da Polícia Civil, que pediu para não ser identificado, defende a colega dizendo que ela usava verbas de combustível para consertar veículos da própria corporação. “Se ela recebia R$ 10 mil e sobravam R$ 3 mil, usava o dinheiro para consertar viaturas quebradas”, disse o colega da delegada.
A Polícia Civil divulgou nota dizendo que “não teve acesso ao inteiro teor da investigação do Ministério Público. Não foi informada sobre os procedimentos adotados, que vai abrir procedimento interno para apurar os fatos e ao final se pronunciará sobre o assunto”.

Luiz Carlos governador


O norte-mineiro professor Luiz Carlos Ferreira do PSOL é o candidato deste blogueiro ao governo de Minas. Ele nasceu em Januária e faz colaborações esporádicas para a imprensa local. Técnico em agropecuária pela antiga Escola Agrotécnica Federal de Januária, ele é biólogo e doutor em Ciência de Alimentos pela Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais. Chegou a atuar como professor no Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet).
Atualmente, Luiz Carlos é professor no Instituto de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais, em Montes Claros, nos cursos de graduação em Agronomia, Ciência de Alimentos, Engenharia Florestal e Engenharia Agrícola, sendo também professor e orientador no mestrado em Ciências Agrárias da UFMG. Saiba mais sobre o candidato no blog: http://www.psoljanuaria50.blogspot.com/

Dilmasia

Adeus Serra:Tucano Anastasia admite voto "Dilmasia" em Minas e critica ataques ao passado de Dilma Rousseff

Veja a resposta de Anastasia as perguntas da sabatina da Folha tucana em Minas

Nós vamos voltar 40 anos atrás? A maioria esmagadora do nosso eleitorado nem conhece o que aconteceu naquela época. Qual é a influência disso no nosso cotidiano? O que isso vai melhorar o nosso emprego? O que vai melhorar em termos de criação de oportunidades para os jovens? [...] Acho que as pessoas podem, individualmente, imaginar que um determinado argumento possa influenciar, mas não acredito que vá haver em uma campanha institucional do partido esse tipo de indagação

Voto "Dilmasia"

O eleitor vai escolher como compor sua chapa como a consciência indicar. Surge essa expressão [voto casado em Dilma e Anastasia] porque temos formalmente na nossa aliança partidos que nacionalmente apoiam Dilma e que no Estado nos apoiam. Temos também o reconhecimento de muitas lideranças municipais de partidos da oposição, que em reconhecimento ao que fizemos, estão aplaudindo nosso governo e manifestam apoio. Agora, não há nenhum movimento criado no nosso âmbito. Nós sempre deixamos muito claro quais são os nossos candidatos a todos os postos, respeitando sempre a opção do eleitor.

Lula dá flor a Dilma e puxa a orelha de Bonner

"Dilma, pela tua paciência, pela tua grandeza, queria te dar essa rosa e dizer pra você: não fique nervosa nunca, não perca as estribeiras nunca, não aceite provocação nunca, porque a verdade nua e crua é que tem muita gente com medo que uma mulher possa provar que tem mais capacidade de fazer muita coisa do que os homens já fizeram", disse Lula em um discurso inflamado em que atacou frontalmente a oposição.
Dilma foi a primeira presidenciável entrevistada por William Bonner e Fátima Bernardes, da TV Globo. Lula achou os ancoras agressivos com a candidata.
"Eu sinceramente esperava que, pelo fato de ser mulher e candidata, que o entrevistador tivesse um pouco mais de gentileza com a nossa candidata", afirmou ele, levando a plateia aos gritos. (Da Agência Reuters)

9 de ago de 2010

Lei da mordaça

JUIZ ELEITORAL DE MONTES CLAROS MANDA APREENDER O TRIBUNA DO POVO A PEDIDO DE ARLEN SANTIAGO


 O Juiz Marco Antônio Ferreira, da 184ª Zona Eleitoral de Montes Claros, acatando pedido de Arlen Santiago, determinou a apreensão ainda na gráfica, da edição n° 76, com 5000 (cinco mil) exemplares do Tribuna do Povo, reencarnando a censura militar, em razão do pedido de Arlen Santiago.
O imbróglio foi causado pela matéria do Jornal que trazia a decisão do TRE, de 01 de agosto, de indeferir a candidatura do deputado, reconsiderada no dia seguinte, veja a íntegra da matéria:

TRE indefere a candidatura do Deputado Arlen Santiago
 Abaixo a decisão do Juiz relator - Decisão Monocrática em 01/08/2010 -

RCAND Nº 463424 Juiz Ricardo Machado Rabelo
Registro de Candidatura n. 4634- 24.2010.6.13.0000
Requerente: Arlen de Paulo Santiago Filho
Cargo: Deputado Estadual
Coligação: Justiça Social e Trabalho
Relator: Juiz Ricardo Machado Rabelo

DECISÃO

Trata-se de pedido de registro de candidatura de ARLEN DE PAULO SANTIAGO FILHO, ao cargo de DEPUTADO ESTADUAL pela Coligação Justiça Social e Trabalho, para concorrer às eleições de 2010.
O ilustre Procurador Regional Eleitoral, às fls. 52/54, requereu a notificação do requerente para apresentar informações sobre objeto das ações constantes da certidão positiva, bem como detalhes de seus andamentos.
Às fls. 58/236, notificado regularmente, o requerente apresentou certidões detalhadas e outros documentos referentes aos feitos em que consta como parte.
É o sucinto relatório. Passo a decidir.
O pedido de diligência requerido pelo douto Procurador Regional Eleitoral Busca tão somente sclarecimentos aos elementos das ações objeto das certidões expedidas pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Entrevista exclusiva: Tânia Bacelar avalia Governo Lula

A avaliação é da economista Tânia Bacelar de Araújo, especialista em desenvolvimento regional. “Acho que o principal resultado do conjunto das políticas implantadas pelo Governo Lula foi a melhoria dos padrões de vida dos brasileiros e em especial dos mais pobres, o que foi muito bom para o Nordeste”, afirmou ela em entrevista exclusiva ao site da CNB.

A partir de 1945, os EUA já tentaram derrubar pelo menos 50 governos estrangeiros – incluída a última tentativa, em curso, de derrubar o governo eleito do Irã. Essa vergonhosa estatística não é resultado apenas…

Brasil encontrou o caminho do desenvolvimento, afirma Lula
Nesta segunda-feira (9), em seu programa semana de rádio Café com o Presidente, Lula comentou os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e afirmou que o país encontrou o caminho do desenvolvimento.

A geração de empregos no Brasil continua de vento em popa e os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) referente a 2009 divulgado nesta quinta-feira (5/8) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) comprova isso.

7 de ago de 2010

Adesismo e subserviência dos prefeitos

A mídia noticiou que mais de 80 prefeitos, inclusive, dois do PT, participaram de reunião no Portal de Eventos, em uma cerimônia eleitoral de “beija-mão” de Aécio e Anastasia, manifestando, oral e documental, apoio à candidatura de ambos, em pleno horário de expediente de trabalho, afrontando a legislação eleitoral, a ética e a moral, em uma atitude amouca, servil, que remonta ao Brasil colônia, transpôs o Império, instalando-se de vez na República, jamais se importando com a coloração político-ideológica do Governo de Plantão, seja democrático ou ditatorial, como foi o caso do Golpe Militar de 64. Por aqui, vale o contrário do que faz os bascos, para quem se há governo são contra. Nestas plagas, se há governo, os nobres alcaides são a favor, independentemente do viés e da fidelidade partidária e programática.
Ainda segundo a mídia, os prefeitos trouxeram caravanas de suas cidades para fazerem coro no evento político. Espera-se que tenham poupado o dinheiro público no traslado para este festival eleitoreiro. Espera-se que tenham decretado ponto facultativo nas Prefeituras para estarem na cerimônia de louvação ao atual e ao ex-governador. Da mesma forma, o Estado de Minas deve estar em feriado administrativo permanente, já que o governador faz campanha o dia todo, ou então ele está licenciado do cargo e não falou com povo.
Aqui no Norte de Minas, lembro-me de um fato ocorrido, na década de setenta, quando o MDB, com trabalho e sacrifício, elegeu um prefeito na região. Houve festa, foguetes, discursos, saudando a boa nova e a expectativa de avanço na seara coronelista deste sertão. Ledo engano. Menos de seis meses depois da posse, o prefeito festejado estava na ARENA e no colo de Francelino Pereira.
Agora, não faz muito tempo, mais precisamente em 2004, o PIRATA ESCARLATE, José Antonio Prates, elege-se prefeito de Salinas, sob a bandeira do PT, depois que foi preso político, exilado, concluir curso interrompido de arquitetura na UNB, tornar-se presidente da Academia de Letras de Brasília. Pessoalmente, saudei o acontecimento, como alvissareiro às práticas políticas democráticas neste Norte e Vale do Jequitinhonha. Mas, alegria de pobre dura pouco. Não é que o “Pirata” debandou para o outro lado do Governo, a nível estadual, criando o Lulécio em 2006. Ainda bem que foi expulso do PT. Espera-se que também o sejam os dois prefeitos adesistas de agora.
Confundir e usufruir do público como se privado fosse é também uma prática vinda com os portugueses.
Todavia, com a reeleição e a eleição de dois em dois anos, a coisa complicou e ampliou de vez, não obstante a atuação da Polícia Federal e do Ministério Público.
Urge acabar com a reeleição e unificar as eleições, do município à república.
João Avelino
Advogado

Dengue já matou 72 pessoas em Minas Gerais


Boletim divulgado ontem pela Secretaria da Saúde de Minas Gerais informa que 25 pessoas morreram neste ano, por dengue hemorrágica, e 47 por complicações decorrentes da dengue.
Mais de 223.000 casos suspeitos de incidência da doença já foram notificados no estado. Quase 64.000 notificações foram feitas em Belo Horizonte. Os outros municípios com maior número de casos suspeitos são Betim (mais de 18.000), Montes Claros (mais de 7.000) e Contagem (quase 6.000).

5 de ago de 2010

Daqui nas bancas

Acesse o site: http://www.daquimoc.com.br/ ou o blog: http://www.daquimoc.blogspot.com/ e leia as verdades que grande parte da imprensa de Montes Claros esconde.

Patrus pode abandonar campanha

Insatisfeito com Hélio Costa por defender dirigentes demitidos dos Correios que tentaram chantagear o governo, Patrus afasta-se da campanha
Após ter sido demitido pelo ministro das Comunicações, o ex-presidente dos Correios Custódio disse que a decisão não partiu do ministério e, "ao que tudo indica", foi uma orientação da Casa Civil e do presidente da República.
Desde junho deste ano quando começou a circular notícias de que o Palácio do Planalto estaria insatisfeito com o comportamento do diretor da autarquia, Pedro Magalhães, irmão do deputado federal por Minas Gerais, João Magalhães, (um dos principais coordenadores da campanha do candidato do PMDB ao governo de Minas de Hélio Costa), que Custódio vinha segundo fontes do Palácio do Planalto. Comportando como um “menino de recado”, informando que Pedro Magalhães teria um “Dossiê” que seria entregue à oposição caso fosse demitido.
Evidente que o comportamento do ex-presidente da autarquia contava com “vista grossa”, do ministro das Comunicações, José Artur Filardi, que só não foi para a rua na mesma canetada que demitiu o presidente dos Correios, Carlos Custódio, porque Lula avaliou que a decisão poderia contaminar a eleição em Minas Gerais — Filardi, ex-chefe de gabinete de Hélio Costa, é ligadíssimo ao ex-ministro. Mas internamente Lula já disse que, abertas as urnas, Filardi irá para a rua.
Pedro Magalhães, além do apoio de seu irmão, conta com apoio do PMDB mineiro, mais especificamente do próprio candidato do partido ao governo, Hélio Costa. Magalhães e Costa são unha e carne. E, pelo visto, o “Dossiê” prometido deve ser realmente explosivo, pois sua demissão embora anunciada pela Casa Civil da Presidência da Republica não se confirmou.
Após demitir Carlos Henrique Custódio, ligado ao ex-ministro das Comunicações e candidato ao governo de Minas Hélio Costa, Lula indicou para o cargo de presidente da estatal David José de Matos, que integrou o primeiro escalão dos governos de Joaquim Roriz e José Roberto Arruda, que deixou o cargo acusado de capitanear o mensalão do DEM no Distrito Federal. "Havia uma necessidade de dar uma oxigenação nos Correios", disse o ministro das Comunicações, José Artur Filardi, ao justificar a troca de comando.
No xadrez das relações entre PT e PMDB, a nomeação de David de Matos fortalece a aliança em Brasília, já que os peemedebistas formam chapa com o candidato petista ao governo do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. Ex-secretário geral da Novacap, estatal do DF responsável pela execução de obras de urbanização, o novo presidente dos Correios é ligado ao PMDB de Brasília.
O processo de "fritura" da cúpula dos Correios vinha se intensificando nos últimos meses. No início de junho, o "Estado" noticiou que o presidente Lula havia, então, adiado a decisão de demitir a diretoria da empresa para não prejudicar a aliança eleitoral do PT com o PMDB em Minas. O PMDB, partido de Hélio Costa, havia indicado boa parte da diretoria da empresa.
No mês passado mesmo, porém, as demissões foram iniciadas, com a saída do diretor de Operações, Marco Antonio Oliveira. Na quarta-feira (28), o governo anunciou que, em seu lugar, será nomeado Eduardo Artur Rodrigues Silva, ex-presidente da VarigLog.
Custódio recebeu a notícia de que deixaria a presidência dos Correios pouco depois de participar de evento com o presidente Lula na terça (27), para o lançamento do selo comemorativo aos 150 Anos do ministério da Agricultura. A cerimônia foi realizada no Clube do Exército, em Brasília, mas, segundo Custódio, durante o evento Lula não deu a ele qualquer sinalização sobre a demissão.
O ministro das Comunicações negou que a decisão tenha sido política. "O motivo é que estava sendo estudada pelo governo a necessidade de dar uma oxigenação nos Correios". Segundo Filardi, a decisão é "administrativa".
Embora as decisões tenham fortalecido o PMDB de Brasília, espatifou o relacionamento entre Hélio Costa e Patrus, pois o “Dossiê” prometido por Pedro Magalhães atingiria a candidata à Presidência pelo PT, Dilma, a quem é atribuído o convencimento de Patrus em aceitar o cargo de vice-governador na chapa de Hélio Costa.
Se Patrus não gostou, imagine Pimentel, que além de amigo é um dos principais coordenadores da campanha de Dilma.
Fonte: Novo Jornal