Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

25 de abr de 2007

Notícia jurídica - Pau no Nome

Tribunal de Justiça de Brasilia - Isso é um texto jurídico verdadeiro, no mínimo, CURIOSO. - "Pau No Nome"

Tribunal de Justiça (Brasília) recebeu o seguinte requerimento: Eu, Maria José Pau, gostaria de saber da possibilidade de se abolir o sobrenome Pau de meu nome, já que a presença do Pau tem me deixado embaraçada em várias situações. Desde já, antecipo agradecimentos e peço deferimento. Maria José Pau. Em resposta, o Tribunal lhe enviou a seguinte mensagem padrão:
Cara Senhora Pau, sobre sua solitação de remoção do Pau, gostaríamos de lhe dizer que a nova legislação permite a restirada do seu Pau, mas o processo é complicado. Se o Pau tiver sido adquirido após o casamento, a retirada é mais fácil, pois, afinal de contas, ninguém é obrigado a usar o Pau do marido se não quiser. Se o Pau for de seu pai, se torna mais difícil, pois o Pau a que nos referimos é de família, e vem sendo usado por várias gerações. Se a senhora tiver irmãos ou irmãs, a retirada do Pau a tornaria diferente do resto da família. Cortar o Pau de seu pai, pode ser algo que vá chateá-lo. Outro problema, porém, está no fato de seu nome conter apenas nomes próprios e poderá ficar esquisito caso não haja nada para colocar no lugar do Pau. Isso sem falar que, caso tenha sido adquirido com o casamento, as demais pessoas estranharão muito ao saber que a senhora não possui mais o Pau de seu marido. Um opção viável, seria a troca da rdem dos nomes. Se a senhora colocar o Pau atrás da Maria e na frente de José, o Pau pode ser escondido, porque a senhora poderia assina o seu nome como Maria P. José. Nossa opinião é a de que esse preconceito contra este nome já acabou há muito tempo e que, já que a senhora usou o Pau do seu marido por tanto tempo, não custa nada usá-lo um pouco mais. Eu mesmo possuo Pinto, sempre o usei, e muito poucas vezes o Pinto me causou embaraços.

Atenciosamente,
Geraldo Pinto Soares. Desembargador Tribunal de Justiça - Brasília/DF

É, um problema muito grande. Ou pequeno, dependendo da pessoa.

12 comentários:

rub disse...

Senhor editor,
Informo que pesquisei a respeito do assunto e não encontrei nenhum desembador com o nome de Geraldo Pinto Soares. Creio que esta ´"notícia" é mais uma invenção da Rede.

Luís Carlos Gusmão disse...

"Rub", de fato você tem razão. Tembém fiz a pesquisa e não encontrei nada. Mas como foi um nota "Ctrl c e Ctrl v", ou seja, copiou e colou, vou deixá-la. Quem sabe se outra pessoa não consegue descobrir a fonte.
Grato pela participação
Luís Carlos Gusmão

Elenita disse...

A notícia é falsa. Outra invenção montada para a net. Tal desembargador não existe.

Luís Carlos Gusmão disse...

Ok Elenita, fui na onda da net e usei o Ctrl C e Ctrl V. Valeu pela participação

Anônimo disse...

é inventada...mas fico bem legal!! deu um monte de risadas!!!!

BrunoCampos disse...

Concerteza Rub. Não é preciso ir na rede procurar por nóticias que corroborem essa notícia, basta analisar o texto. Um texto judicial nunca pode usar uma linguagem coloquial e ainda há erros de português como: "Se a senhora colocar o Pau atrás da Maria" a preposição ai está errada, Pau atrás de Maria, porque é nome, não pessoa. Mas de qualquer forma uma ótima piada!! eu gostei muito!

Dyego Alcantara disse...

Que importa que seja verdadeira ou não , para mim, não vejo nada de mais , o que vejo, que foi bastante engrassado foi! rir que chorei!

Anônimo disse...

Falso e sem graça.

Anônimo disse...

Caros leitores!
Logo percebi que era 71, mas até engraçado e criativo! Pessoas vividas observam de cara coisas fantasiosas" faz parte!
Fátima Benvenuti

Anônimo disse...

Prezados,

Há diversos erros não só gramaticais, mas também, erros processuais.
Destaco dois erros grotescos:

Brasília sem acento no Jornal e Tribunal de Justiça de Brasília (não existe, o correto é Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios).

At.te,


Geraldo Pinto Soares (rs rs)

Anônimo disse...

Mesmo sendo um texto falso,está muito divertido.

Anônimo disse...

Não é mentira não. Acreditei.
Ass. Maria Pau.