Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

20 de abr de 2007

Afastado primeiro prefeito do Brasil envolvido com a Máfia dos Sanguessugas

Jornalista Fábio Oliva - Januária/MG
Menos de uma semana depois da passagem da Caravana Todos Contra a Corrupção pelo município, João Ferreira Lima (PSDB), de Januária, no Norte de Minas, tornou-se hoje o primeiro prefeito do Brasil afastado do cargo por envolvimento com a Máfia dos Sanguessugas, que ficou conhecida por desviar recursos públicos através de um esquema de venda superfaturada de ambulâncias e pagamento de propina a prefeitos e deputados. Segundo o Ministério Público Januária, Lima teria recebido R$ 14 mil de propina. Os recursos teriam sido depositados na conta corrente bancária do procurador jurídico de Januária, advogado Roberto Lima Neves. Os membros da comissão de licitação também teriam dividido propina no valor de R$ 6 mil, depositados na conta do presidente da comissão, José Wellington Gonçalves Dias.
A ação civil pública manejada pelo MP tem 12 réus. Além do prefeito e do procurador jurídico, também estão sendo processados os ex-prefeitos Josefino Lopes Viana e Valdir Pimenta Ramos, os membros da comissão de licitação José Wellington Gonçalves Dias, Nair Guedes Carvalho e Dilma Glória Ferreira Ramos; mais Luiz Antônio Trevisan Vedoin, Darci José Vedoin, Ronildo Pereira de Medeiros e as empresas Planam Comércio e Representações Ltda e Frontal Indústria e Comércio de Móveis Hospitalares Ltda.
Além de afastar o prefeito do cargo, o juiz Geraldo Andersen de Quadros Fernandes, da 2ª Vara Cível da Comarca de Januária, também determinou a quebra dos sigilos bancários e fiscal dos envolvidos e colocou seus bens em indisponibilidade. O MP também pediu a condenação dos acusados no pagamento de R$ 400 mil a título de dano moral difuso em favor do Município de Januária, e a devolução de R$ 318,3 mil gastos com as licitações. Da decisão cabe recurso para o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, mas o MP acredita que o TJMG manterá a decisão de primeira instância, em face da quantidade e da robustez das provas existentes nos autos.

Um comentário:

Anônimo disse...

cintia_amor.perfeito@hotmail.com
gostaria de saber quem foi o primeiro prefeito no Brasil?