Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

18 de nov de 2006

Quando fé e voto se misturam


Religião e política não se misturam? E quem fala o que quer, ouve o que não quer? A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) meteu o bedelho nos assuntos do governo Lula. Começou ontem ( aqui) e (aqui) quando proclamou um plebiscito para o próximo ano, sobre a privatização da Vale do Rio Doce. A CNBB, marcou data para consulta popular, seria feita na semana da pátria, em setembro de 2007, e que se tenha coragem de enfrentar essas ações e de conferir”, afirmou dom Demétrio Valentini. Hoje foi a vez de dom Pagotto e Dom Geraldo Majella, fazer duras críticas ao Presidente Lula. Dizem eles que o Bolsa-Família "é um programa que vicia". A resposta não demorou. Veio a cavalo. O Ministério do Desenvolvimento Social, responsável pelo Bolsa Família, rebateu no mesmo tom duro as críticas da CNBB ao programa, e agora os bispos da CNBB dizem que abriu uma crise entre ministério e igreja.Em nota, o ministério classificou de "profundo desconhecimento" e "preconceito contra as famílias mais pobres" as afirmações do bispo Aldo Pagotto, e garante, ainda, a visão dada pelo bispo "não reflete a visão da própria CNBB", que costuma ser parceira do governo em várias ações sociais. "A afirmação de Dom Pagotto revela também preconceito contra as populações pobres, às quais se destinam o Programa Bolsa Família, que é um direito, garantido em lei, a estas pessoas", diz a nota do ministério. "É importante não perder de vista que as pessoas, uma vez atendidas em suas necessidades básicas, passam a ter condições de almejar mais, de buscarem uma vida melhor".
A nota, longa, defende todos os pontos do programa.

Nenhum comentário: