Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

15 de nov de 2006

Ministro do TCU

A bancada do PT decidiu ontem indicar o nome do deputado Paulo Delgado (MG) para disputar as eleição que vai definir, na quarta-feira da próxima semana, uma vaga de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). Delgado não foi reeleito para a Câmara e agora tenta ser recompensado pela derrota. Até ontem, o deputado Sigmaringa Seixas (PT-DF), que também não se reelegeu, era apontado como o preferido de Lula para a disputa. Delgado vai disputar em eleição direta entre os deputados com os colegas Luiz Antônio Fleury (PTB-SP), Osmar Serraglio (PMDB-PR), Aroldo Cedraz (PFL-BA), Gonzaga Mota (PSDB-CE), Ademir Camilo (PDT-MG) e José Antonio Almeida (PSB-MA). Com exceção de Serraglio, todos foram derrotados pelas urnas. O PSC indicou o secretário-geral da Mesa, Mozart Viana. O nomeado à cobiçada vaga terá direito a um cargo vitalício com um salário de R$ 23.275,00, maior do que os atuais R$ 12.847 pagos aos parlamentares. O salário equivale a 95% dos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e serão reajustados ao mesmo tempo. O prazo para o registro de candidaturas é 21 de novembro. A Câmara e o Senado se revezam na indicação de dois terços dos nove ministros do TCU. Cabe ao presidente da República, de acordo com a Constituição, indicar um terço dessa composição. A indicação de candidatos separados dos partidos que apóiam o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostra a dificuldade inicial para o fechamento de acordo político entre os partidos da teórica base parlamentar que apóia o Palácio do Planalto.

Nenhum comentário: