Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

19 de nov de 2006

O choro é livre


Não se pode levar o tal Cotrim a sério

Aquele babaca metido a intelectual da Bahia do bode, assecla de ACM, não cansa de falar asneiras. Desta vez, seu artiguinho “Quase no fim da fila”, fala de uma pesquisa do Grupo Transparência Internacional, para criticar o governo Lula e o PT, dizendo que Lula não tem dignidade de governar a nação. Além de outras tolices.
Na verdade, o Índice de Percepções de Corrupção é um indicador de opiniões sobre corrupção em países, produzido anualmente pela organização não-governamental Transparency International, onde cada país recebe uma “nota” de 0 a 10, e os países são listados na ordem dessas “notas”, formando um ranking. Este ano, a lista relaciona 163 países.

Para a interpretação desse índice, é importante observar que:

• O indicador não é um “ índice de corrupção”, mas de opiniões sobre corrupção coletadas entre pessoas direta ou indiretamente ligadas a negócios internacionais. Não existe modo de medir diretamente a corrupção. O que o ranking da Transparency International representa é a imagem internacional de países no que diz respeito à corrupção.

• As “notas” dos países no índice da Transparency International não correspondem a uma medida independente. Elas representam uma forma alternativa de descrever a ordem em que os países se organizam em subdivisões da lista.

• Como não se tem controle sobre o modo como as pessoas formam suas opiniões, não se sabe o peso das informações objetivas sobre cada país na formação da opinião média sobre aquele país. Também não se conhece a medida em que as opiniões dos respondentes são atingidas a partir de experiência direta, de conhecimento mais aprofundado sobre os ambientes dos países, se decorrem da leitura de noticiário ou se simplesmente repetem outras opiniões.

Nenhum comentário: