Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

10 de dez de 2006

Eu não pago mais o PT


Carta semi-aberta do vereador Carlão Pereira ao PT/BH
Eu não pago mais o PTA partir de agora, os R$ 871,39 que pago religiosamente ao PT todos os meses estarão depositados numa conta em agência da Caixa Econômica Federal.
Faço isso porque os pedidos formais e informais que encaminhei ao PT para que tornassem públicas as suas contas não foram atendidos. Faço isso para não ter, mais uma vez, que ficar me lamentando por omissões. Essa história de arrependimento também tem limites. Se vulgariza, é falta de vergonha na cara.
Me omiti, e admiti, quando não tornei público meu incômodo com o novo-riquismo que tomou conta de nós há uns quatro anos. A farta distribuição de bandeiras e bonés era como maná, caía do céu. Dos granitos da sede nacional aos showmícios das duplas sertanejas, tudo era visto como natural, até descobrirmos que Marcos Valério existia.
Me omiti, e admito, com a trajetória de Juvenil Alves. E não falo aqui de seus negócios pouco ortodoxos. Desde que recebi na minha casa, no início do ano, uma correspondência de um tal Juvenil me tratando por Antônio, falando de "nossa experiência na construção do PT" que eu percebi que algo estava errado. Os vários rumores sobre o dinheirão que seria investido, a abordagem a diretórios municipais, as adesões sem explicação eram muitos. Até que falar, falei. Mas não formalizei.
Abro um parêntese. Alguns membros da direção estadual admitem que tiveram informações, mas não agiram, pois não havia denúncia formal. Direção não é nem deve ser polícia. Mas estávamos diante de um problema político com uma dimensão ética. Depois de todas as denúncias, verdadeiras ou não, contra o PT, não tínhamos o direito de correr riscos com uma campanha que evidenciava fortemente o ABUSO do poder econômico. Fecho o parêntese.Não quero mais omissões. Que venham problemas diferentes. Não se trata de qualquer desconfiança quanto à seriedade das pessoas. Essa é uma questão institucional. Mesmo porque o tesoureiro do PT municipal é meu amigo, foi meu assessor por duas vezes, e compartilha de minhas opiniões sobre esse assunto. Mas nós temos de exigir do PT aquilo que queremos para as instituições do país. O PT é público, não é propriedade de ninguém! Por isso suas contas também devem ser públicas. Por isso suspendo meus repasses. Como os recursos não me pertencem, ficam em conta, sobre a qual darei publicidade mensalmente, até que o PT municipal, TRANSPARENTEMENTE, ponha suas contas na internet. Eu não quero prestação de contas para o chato do Carlão, quero-as públicas.Não tem cabimento nós ficarmos brigando para que a Câmara e a Prefeitura sejam transparentes, quando não fazemos isso no Partido. É direito de filiados, simpatizantes e eleitores, saberem quem paga, quem não paga e como é gasto o dinheiro do seu partido.Na esperança de que minha conta na Caixa seja brevemente encerrada,
Fraternalmente,
Carlão PereiraVereador PT-BH
Fundador do PT e contribuinte sempre em dia
Confira esta carta e outros assuntos do Edil Carlão AQUI

Nenhum comentário: