Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

9 de mai de 2007

Mares Guia 2008, Aécio e Pimentel 2010

Acordo celebrado para sucessão municipal, estadual e federal em Minas negocia patrimônio público

Os políticos brasileiros cada vez mais se apropriam do patrimônio público, a fim de fazê-lo como “capital” em suas carreiras pessoais, enfraquecendo e desrespeitando as estruturas dos partidos políticos. As legendas, atualmente, só existem “cartorialmente”, servindo apenas para legitimar as candidaturas de políticos que desenvolvem projetos pessoais. As negociações para as escolhas de candidatos para as diversas áreas do poder não são feitas pelos partidos - eles apenas as homologam. Até mesmo os partidos tidos como de maior estrutura e programa, como o PT, conhecido por sua participativa militância, já não conseguem se impor diante das “lideranças políticas”, que normalmente estão com as máquinas dos governos que administram. Em Minas, esta deformada prática reinava absoluta desde a proclamação da República, com exceção do breve período compreendido entre 1983 e 1992.
Leia a matéria completa AQUI no NOVO JORNAL

Nenhum comentário: