Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

15 de mai de 2007

Dólar fecha cotado abaixo de R$ 2 pela 1ª vez desde 2001

O dólar encerrou o pregão desta terça-feira com baixa de 1,34%, terminando cotado a R$ 1,982. Na mínima do dia, o dólar chegou a ser cotado a 1,979 real. Nesta manhã, foi a primeira vez desde fevereiro de 2001 que a moeda rompeu o piso de R$ 2,00. O valor de fechamento é o menor desde 31 de janeiro de 2001. O Banco Central tentou impedir a queda da moeda com leilões, mas não obteve sucesso.

Luís Nassif: tendência do dólar é deslizar para R$ 1,80
Conversa Afiada: Lula diz que câmbio deve ser flutuante
Durante a entrevista coletiva com jornalistas realizada na manhã de hoje, o presidente Lula comentou a valorização do real frente ao dólar e disse que não mexerá no câmbio.
"O câmbio vai continuar sendo flutuante", afirmou o presidente. "O que precisamos é de medidas tributárias para permitir a competitividade dos nossos produtos com os produtos chineses, e outros estrangeiros", completou. "Quero dizer a quem perde a competitividade, que o governo está fazendo a sua parte, mas não tem como fixar um valor para o dólar", afirmou o presidente. Lula disse ainda que acabou o tempo em que "corríamos para o Washington para pedir migalhas ao FMI".
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, minimizou a queda abaixo de R$ 2 e disse que "são vicissitudes de um País que vai muito bem" e defendeu o câmbio flutuante.
Fonte: Aqui ao lado, no ÚLTIMO SEGUNDO

Nenhum comentário: