Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

17 de out de 2008

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros pede aos cristãos para votar em candidato com ficha limpa

Deixar-se influenciar

Dom José Alberto Moura, CSS


Os próprios opositores de Jesus reconheceram. 'Mestre, sabemos que és verdadeiro... Não te deixas influenciar pela opinião dos outros, pois não julgas um homem pelas aparências' (Mt 22, 16). Buscar a verdade exige de nós saber avaliar o ser e a conduta das pessoas pela sua caminhada com o bem praticado. Palavras podem não revelar tudo. O próprio Jesus admoesta que se conhece a árvore pelos frutos.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) tem norteado a população sobre a política para uma participação popular democrática, em que se escolhem pessoas para servirem a sociedade com valores éticos e de promoção da justiça social. Isto vale não só para as eleições deste ano. Lembram os bispos a necessidade dos eleitos realizarem o bom serviço, construindo um mandato participativo e que resolva as necessidades do povo, respeitando os valores da vida, do meio ambiente e da dignidade da pessoa humana, com postura e grandeza de caráter.

'Urge criar, no âmbito municipal, estruturas que consolidem uma autêntica convivência humana... No município, a política pode atender às necessidades concretas da população: saúde, educação, segurança, transporte, moradia, saneamento básico e outras' - CNBB. O texto dos líderes da Igreja lembra a necessidade de superação da cultura da corrupção, que 'perpassa as malhas da nossa história política. A corrupção pessoal e estrutural convive com o atual sistema político brasileiro e vem associada à estrutura econômica que acentua e legitima as desigualdades' - CNBB. Por isso, nas eleições, devemos exercer pedagogicamente nosso espírito de discernimento para analisarmos se colaboramos com a melhor escolha possível de quem possa ter atribuições morais e propostas que mais venham estar de acordo com o serviço ético e promotor do bem comum. A nova lei contra a corrupção eleitoral, com a participação do Movimento Contra a Corrupção Eleitoral (MCCE), composta por quase 40 entidades - CNBB, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) e outras -, pretendida para melhorar a já em vigor, Lei 9.840, acrescentará mais rigor no encaminhamento da boa política. Por isso, estamos promovendo, com essas entidades, a coleta de assinaturas para melhorarmos ainda mais o pleito eleitoral para o futuro, impedindo a candidatura de condenados em primeira instância por crimes graves e de quem renuncia o mandato para não ser cassado. Não há maior valor agregado às eleições do que sermos pessoas conscientes do voto cidadão, para contribuirmos com a boa política. Base para tanto é darmos o voto responsável para quem sabemos ser quem tem melhores condições de desenvolver um projeto de real serviço à sociedade, não nos deixando levar por interesses que contrariem nossa colaboração com o benefício da população. Abster-se, anular o voto ou votar em branco não contribuem positivamente com a eleição. Por outro lado, súplicas devemos fazer a Deus para que todos dêem o seu voto correto e em base ao conhecimento da verdade dos candidatos, onde há o segundo turno. Seja eleito quem vai melhor servir bem o povo, com ética, dinamismo e respeito aos anseios e às necessidades da sociedade.

Nossa fé em Deus nos ajuda a colaborar com a promoção da vida, da família, da educação, da saúde, da segurança e do meio ambiente. Damos a César o que é de César, mas por causa do Criador (conferir em Mt 22, 21), que nos indica a missão de fazer da terra um convívio realmente humano, justo e fraterno.

Dom José Alberto Moura, 64 anos, da Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo (CSS), é Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (Norte de Minas Gerais), Coordenador Nacional da Pastoral da Saúde, Presidente da Comissão Episcopal Pastoral (CEP) para o Diálogo Ecumênico e Interreligioso da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e primeiro Vice-Presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic). Dom Alberto escreve artigo semanal para ser publicado nas edições de domingo do Jornal de Notícias, periódico montes-clarense. Dom José Alberto também costuma escrever dois artigos para o jornal 'Clarão do Norte', informativo mensal da Arquidiocese de Montes Claros. Neste mês, no dia 23, Dom José Alberto completa 65 anos de vida.
Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Montes Claros (MG)
pascac@arquimoc.org.br
Faça igual o bispo. Neste segundo turno, vote no candidato ficha limpa Athos Avelino, e diga não ao candidato ficha suja Tedeu Leite, de acordo com a Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) AQUI.

3 comentários:

Anônimo disse...

E a velha Teologia da Liberatação em ação! O Bispo fala em seu nome pessoal? Ora, era o tempo que Bispo mandava e o povo obedecia.Os tempos são outros,o Bispo podia pegar seus Padres de passeata e fazer um retiro para adquirir mais fé!E não ficar fazendo politica,cuidado Bispo! Os Evangélicos tão no seu pé,a Igreja Católica cada dia perde fiéis.

Anônimo disse...

Lunga, você poderia lançar uma matéria sobre os vereadores que foram eleitos. por exemplo Frank cabeleleiro que disse hoje numa reunião que propõe um salão de beleza ambulante (parece piada) e também de fazer uma bancada protestante. com os vereadores pastores/evangélicos. aff

Anônimo disse...

O DÓ DA IGREJA CATÓLICA. AGORA A FOÇA SÃO DOS EVANGÉLICOS