Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

29 de jan de 2007

Há algo de novo acontecendo no antigo quintal dos EUA

.A América do Sul, que sempre foi considerada um 'quintal' dos EUA terá, com a vitória de Hugo Chaves, nada menos do que seis paises com governos considerados de 'esquerda'.
.
Ou de centro-esquerda de orientação socialista.

Brasil (Luiz Inácio Lula da Silva);
Argentina (Néstor Kirchner);
Chile (Michele Bachelet);
Bolívia (Evo Morales);
Equador (Rafael Correa);
Venezuela (Hugo Chaves).
Esse "boom" da esquerda é uma resposta ao fracasso dos sistemas econômicos neo-liberais implantados nesses países durante a década de 90.
.
Rafael Villa, venezuelano e doutor em ciência política pela USP, diz que a eleição e, em alguns casos, a reeleição de presidentes de esquerda "significa que as opções conservadoras são vistas como fracassos".
.
O professor do Departamento de Relações Internacionais da UnB, Virgílio Arraes, diz que "o que une todos esses países é a decepção com os resultados produzidos pelo neo-liberalismo".
.
"O neo-liberalismo privilegiou o consumidor, e não o cidadão", completa Arraes.
.
O presidente da Bolívia, Evo Morales, e o recém-eleito equatoriano Rafael Correa são os principais exemplos de uma tendência que visa atropelar os outros valores e poderes da democracia clássica, o Legislativo e o Judiciário.
.
Ambos falam em realizar profundas modificações nas Constituições de seus países.
.
Esses governos, na verdade, reproduzem comportamentos populistas, longe dos governos da década de 90 que visavam fortalecer os Estados Unidos e enfraquecer o povo da América do Sul.

Nenhum comentário: