Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

4 de mar de 2009

A guerra dos estados

Tropa de Serra bombardeia tucano mineiro.
Milícia de Aécio responde com míssil de fabricação caseira.
No último sábado, os marginais quatrocentões do Tietê, proprietários do jornal O Estado de S. Paulo, convocaram seu editorialista Mauro Chaves para uma importante missão: detonar o governador tucano de Minas Gerais, Aécio Neves.
É que o neto de Tancredo tem sido um calhau nos sapatos do governador tucano paulista (Narizinho - como também é conhecido o mineiro - insiste em querer que o PSDB realize prévias para escolher o candidato à sucessão do Presidente Lula, e isso é tudo o que Serra não deseja).
O petardo disparado pelo ranger ribeirinho tinha o sugestivo título de "Pó pará, governador?", numa alusão à suposta preferência de Aécio por certas substâncias furfuráceas.
O "artefato" paulista, na verdade, leva o jeito daquelas bombas de fragmentação, com efeitos colaterais, conforme você poderá conferir no post abaixo.
A resposta ao ataque veio ontem, terça-feira, e , curiosamente, partiu do quartel-general do jornalão Estado de Minas (para saber um pouco mais da pundonorosa imprensa mineira, clique aqui).
Coube ao franco-atirador Baptista Chagas de Almeida a tarefa de revidar ao ataque dos bandeirantes.
Para ler o traque mineiro, clique aqui e role a página até o subtítulo "Bobo da corte".
Estaremos atentos ao desbobramento dessa briga entre sujos e mal lavados.

Um comentário:

Anônimo disse...

Quero que os tucanos briguem muito, um solte o podre do outro. Os dois caem e Dilma leva.