Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

25 de nov de 2007

Mensalão tucano: Procurador-geral manda investigar secretário e líder de Aécio

Cobertura capenga cava a cova. Simples assim. O povo não é bobo, nem a Rede Globo. Presumir que o público não consegue enxergar as distorções, manipulações e omissões praticadas nas redações brasileiras é subestimar os leitores, ouvintes e telespectadores. O que se dá é um processo de aprendizagem. Leia a matéria completa AQUI no Vi o mundo
Reportagem de Thiago Guimarães na Folha de S.Paulo hoje informa que procurador-geral Antonio Fernando de Souza solicitou que se aprofundem investigações sobre o secretário de Governo de Minas, Danilo de Castro, e o líder de Aécio na Câmara, Mauri Torres.
Ambos foram avalistas de um empréstimo de R$ 707 mil da agência SMP&B (aquela do mensalão), que tem entre seus sócios Marcos Valério, junto ao banco Rural (aquele do mensalão). Afirma o procurador:
"Coincidentemente, as empresas de Marcos Valério (SMP&B Comunicação e DNA Propaganda) venceram licitações para a publicidade do governo do Estado de Minas Gerais, justamente com Danilo de Castro como secretário de Estado responsável pelo certame."

Segundo o blog do Mello, realmente, muita coincidência.
O procurador quer saber o destino do dinheiro, já que a SMP&B foi repassadora de valores para políticos nos dois chamados mensalões. Se o destino foi o bolso de algum político, a bomba explode no governo Aécio. Se foram os bolsos do secretário e do líder, “eles poderão ser denunciados por corrupção (receber vantagem indevida em razão do cargo)”.
Procurados pela reportagem do jornalão paulista, Danilo e Mauri procuraram minimizar o fato. O secretário de Aécio chegou a declarar que só deu o aval em atenção a Mauri Torres e porque lhe foi afirmado que o valor seria quitado em 120 dias.
Ô trem louco sô! Por nadica de nada o sujeito assina um espeto de R$ 707 mil, credo!

Tem cheiro estranho no ar...
Leia mais sobre o caso no site Fora Aécio

Nenhum comentário: