Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

5 de nov de 2007

Caco Barcelos fechou com chave de ouro a Semana da Comunicação de Montes Claros,

A 6ª Semana da Comunicação, promovida pelo curso de Comunicação Social/Jornalismo da Soebras/CRECIH, que teve o objetivo de analisar as possibilidades e desafios do mercado de trabalho para o profissional da comunicação, encerrou com chaves de ouro. O palestrante desta noite, 5/11, foi o jornalista Caco Barcellos, que esteve em Montes Claros pela primeira vez e falou sobre os caminhos do telejornalismo no Brasil e sobre o programa Profissão.
Caco Barcellos é jornalista, repórter de televisão, que se especializou em investigações policiais e reportagens sobre crimes. Antes de trabalhar para a Rede Globo, foi repórter dos maiores jornais do Brasil e das revistas de informação semanal, IstoÉ e Veja. É o autor do famoso livro Rota 66, obra ganhadora de oito prêmios de direitos humanos e o Prêmio Jabuti de literatura.
Seu terceiro livro, Abusado, o dono do morro Dona Marta, é um relato do tráfico nos morros cariocas, de como "nascem" os traficantes e do relacionamento entre eles e a comunidade. Com o Abusado, Caco Barcelos foi novamente vencedor do Grande Prêmio Jabuti, como melhor obra de não-ficção do ano de 2004. Assim como o Rota 66, o Abusado faz parte do currículo escolar de várias escolas da periferia de grandes cidades brasileiras.
Caco também é o autor do livro Nicarágua: a revolução dos meninos (sua primeira obra editorial), pouco conhecida, sobre o movimento sandinista que tirou o país das garras da ditadura de Anastazio Somoza. Foi também vencedor de mais de vinte prêmios por reportagens especiais e documentários produzidos pela televisão, entre os quais o Prêmio Vladimir Herzog, por uma reportagem sobre os 20 anos do atentado militar, durante a ditadura, deflagrado no Riocentro durante as comemorações do Dia do Trabalho.
Caco Barcelos foi o entrevistado da Revista Caros Amigos desta semana.
Veja a entrevista completa AQUI

Nenhum comentário: