Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

23 de set de 2007

Horário de verão

O horário de verão deste ano vai começar à zero hora do dia 14 de outubro e dura até à meia noite do dia 16 de fevereiro de 2008.
A adoção do horário de verão brasileiro costuma levantar as mesmas questões todos os anos. A economia de energia realmente justifica os transtornos causados à população? Afinal, por que são adotados? E quem foi o autor dessa idéia?
Histórico
ESTABELECIDOS NO BRASIL POR DECRETO DESDE 1931, ainda que de forma descontínua, suas origens na verdade remontam à Inglaterra do ano de 1907.
Foi lá que um construtor londrino, membro da Sociedade Astronômica Real, chamado William Willett (1865-1915) deu início a uma campanha para diminuir o consumo de luz artificial ao mesmo tempo que estimulava o lazer dos britânicos.
E o Brasil?
NOS PAÍSES EQUATORIAIS (cortados pela linha do equador) e nos tropicais (situados entre o Trópico de Câncer e o Trópico de Capricórnio), a incidência da luz solar é mais uniforme durante todo o ano e dessa forma não há muitas vantagens na adoção do horário de verão. Nesses casos a economia de energia, embora existente, não é tão significativa se comparada aos transtornos causados ao relógio biológico da população.

No caso do Brasil, o único país equatorial do mundo que adota o horário de verão, verifica-se economia de energia no Rio Grande do Sul, cerca de 5% de redução da demanda integrada durante o consumo de pico (e por estar este Estado inteiramente abaixo do Trópico de Capricórnio), assim como nos demais Estados da região Sul e Sudeste (pelo significativo consumo frente à média nacional).
Porém, nos Estados da região Nordeste e, principalmente, da região Norte, a variação de luz solar anual é insignificante. Isso sem mencionar o fato de que, como as estações são opostas em cada hemisfério da Terra, nos quase 10% de terras brasileiras acima do equador em vez de verão temos inverno!
Dia de 25 horas
SEMPRE QUE COMEÇA UM HORÁRIO DE VERÃO, isto é, quando se subtrai uma hora do dia, adiantanto os relógios em uma hora, causamos um desconforto físico (por afetar o relógio biológico) e psícológico (por causar a sensação de perda de tempo).
Quando ele termina, ao contrário, temos essa hora que nos foi tomada de volta e a ilusão de um dia com 25 horas. É uma ilusão porque na verdade estamos apenas nos reajustando à natureza.
Com o fim do horário de verão os fenômenos celestes voltam a coincidir com o dia solar, que se não serve ao propósito de economizar energia elétrica, pelo menos é aquele com o qual estamos acostumados há milhares de anos.
Economia
De acordo com a Cemig - Companhia Energética de Minas Gerais, na edição anterior do horário de verão, na área de concessão da empresa em Montes Claros, observou-se uma redução de 3,8% na demanda máxima, correspondendo a 230 MW, ou megawatts, o que equivale a quase o dobro da potência instalada da Térmica de Igarapé (131 MW), localizada na Região Metropolitana de Belo Horizonte, ou à capacidade de quatro geradores da Usina Hidrelétrica de Três Marias (MG), ambas da Cemig.

Nenhum comentário: