Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

13 de set de 2007

Cara de pau

MUDOU!!!

Unger agora diz que Brasil não é um país muito corrupto

O secretário de Planejamento de Longo Prazo, Roberto Mangabeira Unger, afirmou ontem que o Brasil não vive um problema "sistêmico de corrupção". "Nós temos problemas pontuais", disse Mangabeira Unger, para quem o sistema político nacional, ao contrário do que muitas vezes se faz aparentar, "não está eivado de corrupção".

Mangabeira Unger causou polêmica recentemente ao assumir o cargo na administração federal depois de escrever um artigo em que acusou o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de o "mais corrupto da história". Em junho, ao assumir o cargo, Mangabeira Unger fez um discurso com elogios à "magnanimidade" de Lula por nomeá-lo.
"Claro que todos nós no Brasil, todos os cidadãos, queremos libertar a política da sombra corruptora do dinheiro. Essa é uma reivindicação de todo cidadão brasileiro", observou ontem o secretário, mas sem deixar de ressaltar que essa não é a maior mazela do País e criticar - sem entrar em detalhes - a "camisa de força" herdada pelo atual governo.
Caminho
Segundo ele, a administração Lula trabalha para "encontrar um caminho". "O nosso maior problema hoje não é corrupção, o nosso problema nacional é confusão", afirmou. "O País tem uma extraordinária vitalidade e quer quebrar a camisa de força herdada do passado, que o impede de andar".

Um comentário:

Matheus disse...

A ditadura deixou rastros na cultura, e o país só irá melhorar quando esses rastros forem apagados.