Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

26 de abr de 2008

A mídia mineira insiste na mentira

A Torre de Babel
Inacreditável o que está ocorrendo em Minas Gerais. A opinião pública está sitiada pela verba do Palácio da Liberdade
As redações dos diversos veículos de comunicação de Minas, principalmente os da capital, continuam, independentes da veracidade dos fatos, a veicular os releases oriundos da assessoria de imprensa do governo do Estado.Estrategicamente contratada pelo governo de Minas, a Agência Estado, do jornal Estado de São Paulo, passou a distribuir estes releases para todo o Brasil. Nada de errado em relação à Agência Estado que, legalmente, está vendendo um serviço como qualquer outro. Lamentável é o comportamento da assessoria de imprensa do governo mineiro. Entretanto, quem realmente perde com tudo isto é o próprio governo que se acostumou a acreditar em suas próprias mentiras.
Desta forma, por sua culpa, o governo está permanentemente desinformado. Exemplo disto é a situação que se encontra o governador de Minas em seu próprio partido, o PSDB. Para qualquer mineiro que se informe através dos veículos de comunicação regionais, ele é uma das mais influentes figuras do PSDB. Porém, conforme vinha sendo noticiado pelo Novo Jornal, há mais de um ano o desgaste do governador mineiro em seu partido é enorme, praticamente intransponível. Sua saída é iminente. Isto a imprensa mineira jamais noticiou, assim como a bancada de seu partido na Assembléia Legislativa jamais questionou seu comportamento, pois “ai de quem contestasse”.
(Tem cheiro estranho no ar)
O governo mineiro praticamente transformou-se na cidadela de proteção à ex-participantes do tucanoduto, valerioduto, mensaleiros, lista de Furnas e tantos outros escândalos de corrupção que ocorreram no país nos últimos seis anos.Acreditem mineiros, dois senadores, mais que 70% da bancada mineira na Câmara Federal, igualmente a estadual, 99% do secretariado estadual, a maioria dos dirigentes das estatais mineiras, um ex-ministro, diversos prefeitos e integrantes do Ministério Público Estadual.
Enfim, quase a totalidade do atual “mundo oficial” mineiro responde por crimes que vão de improbidade administrativa à falsificação de documentos públicos. As empresas de propaganda, da construção civil e outras que participaram deste lamaçal de corrupção são comprovadamente mineiras.As “autoridades” saíram de Brasília e de seus Estados, vieram para Minas e aqui são tratados com toda honra e deferência. Além da total impunidade.
Há pouco, uma grande negociata que seria concretizada entre o PT e PSDB foi na última hora abortada pelos históricos do PT. A imprensa mineira nada noticiou. Ao contrário, tem noticiado mentiras, como, segundo a mesma, a inevitável e indissolúvel aliança do PT com PSDB. E continua noticiando, informando até a possibilidade da entrada do PMDB e outros partidos.
Pelo visto, imaginam que o esquema, montado por Francelino Pereira, ainda no período do golpe de 64, para ser indicado governador de Minas, continua funcionando até hoje. Naquele período, o governo se orientava pelos releases dos jornais. Eram militares e não havia liberdade de imprensa. É uma pena que os mineiros estejam sendo mal informados.

Nenhum comentário: