Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

11 de abr de 2008

Bocaiúva na lista máfia do FPM

A cidade de Bocaiúva, no Norte de Minas, aparece na nova lista das prefeituras mineiras no rombo provocado pelo esquema de desvios de verbas do FPM, juntamente com Matipó, Maravilhas, Monte Sião, Maripá de Minas, Munhoz, Nova Belém, Paraisópolis, Poté, Ribeirão Vermelho, Ribeirão das Neves, Rio Vermelho, Santa Maria do Salto, Tarumirim, Umburatiba, Abre Campo, Águas Vermelhas, Brasópolis, Brumadinho, Chalé, Dona Euzébia, Guaraciaba, Itaipé, Itanhomi, Jacutinga, Jaíba e Jequitinhonha. O advogado Valzemir José Duarte, preso na quarta-feira pela Polícia Federal, durante a Operação Pasárgada, atuou prestando consultoria jurídica, para evitar que as prefeituras tivessem descontados do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) recursos para pagamento de dívidas contraídas com o INSS, conseguindo liminares impedindo o desconto no FPM.
Na última quarta-feira, durante a Operação Pasárgada, foram presos 14 prefeitos de cidades mineiras (Almenara, Cachoeira da Prata, Conselheiro Lafaiete, Divinópolis, Ervália, Itambacuri, Juiz de Fora, Medina, Minas Novas, Rubim, Salto da Divisa, Tapira, Timóteo e Vespasiano) acusados de envolvimento no esquema, além de Weliton Militão, advogados, servidores da Justiça e secretários municipais.
A nova lista de municípios prova que o rombo provocado pelo esquema, que contava com a participação do juiz Weliton Militão, que foi o relator e absolveu o prefeito de Bocaiúva, Alberto Caldeira, no processo eleitoral, pode ser superior aos R$ 200 milhões estimados pela Polícia Federal.
O panfleto acima foi elaborado pela oposição de Bocaiúva, liderada por Betinho Dentista, mas não convenceu o juiz Weliton Militão, que livrou Alberto Caldeira. Só para lembrar, foi este mesmo juiz, aliás, o único que condenou o prefeito de Montes Claros, Athos Avelino.

Nenhum comentário: