Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

8 de out de 2006

CLEUBER CUSPIU NO PRATO QUE COMEU


“Fui imolado no altar da democracia”
Januária é “débil, fraca e de caráter pouco incisivo” e que “eleitores se vendem como se porcos fossem”

O deputado federal Cleuber “Sanguessuga” Carneiro (foto) fez um contundente desabafo à TV Norte, a jóia da coroa que ele conseguiu levar para Januária ao longo de sua quase infindável carreira política. A peça (clique aqui para assistir aos dois vídeos) é um dos mais amargos pronunciamentos de um político em fim de carreira de que se tem notícia em nossas (tristes) plagas. No vídeo, um Cleuber de cara amarrada e mirada de olhos que se pretendia altaneira, reconhece, ainda no decorrer da votação, na manhã do domingo 1º de outubro, que o jogo está perdido.
Preterido nas urnas, o deputado derrotado comete uma grande injustiça com o povo (sempre ele) ao lembrar o velho preceito da Lei Pelé. Resumo da ópera: o povo não sabe votar. Segundo Carneiro, a democracia requer sacrifícios e imola muitas vidas.
- Eu me considero uma vítima de tudo isso -, disse o deputado.
Noutro trecho do vídeo, ele diz que tem fé na democracia (a mesma que lhe cobra o escalpo agora). Cleuber faz um diagnóstico pessimista e duro sobre a cidade em que nasceu:
- Januária é uma cidade débil, fraca e de pouco caráter incisivo na sua política. Ela titubeia, comete desatinos numa seqüência de enganos e controvérsias -, avaliou o ainda deputado, insinuando que a sua não reeleição seria mais um desses “enganos”. De acordo com o deputado, Januária ainda é uma comunidde muito frágil, em que o espírito cidadão faz muita falta.
"A população é despreparada, despolitizada e se deixa envolver por uma situação de extrema fraqueza. Tem os que se vendem como se porcos fossem ou outros bichos, e traem o compromisso com o município, com a cidade e com as pessoas".
Leia a matária completa AQUI

Nenhum comentário: