Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

21 de jul de 2009

MP denuncia empresário amigo de Virgílio Guimarães

O Ministério Público Federal em Santos (SP) denunciou nesta terça-feira (21) o empresário Marcos Valério e mais sete pessoas investigados na Operação Avalanche, da Polícia Federal, pelo crime de exploração de prestígio.

Deflagrada em outubro de 2008, a operação foi desencadeada para investigar inicialmente a apropriação indevida de dinheiro apreendido durante fechamento de bingos. Valério chegou a ser preso sob suspeita de encomendar um inquérito policial falso para prejudicar dois fiscais da Fazenda paulista e beneficiar a cervejaria de um amigo.

O empresário foi solto em janeiro beneficiado por um habeas corpus.

Para o Ministério Público, a denúncia de hoje revela mais uma frente da atuação da quadrilha. Segundo os procuradores, Valério e os demais denunciados contrataram os serviços do juiz aposentado José Ricardo Tremura para influenciar no andamento de uma ação de interesse de uma cervejaria que tramitava no Fórum de Boituva (SP).

Tremura teria concordado em influenciar os juízes responsáveis pelo processo em troca de dinheiro do grupo interessado.

Os procuradores não conseguiram comprovar indícios de que a atuação do juiz aposentado tenham afetado o trâmite da ação contra a cervejaria. Porém, para os procuradores, o simples fato de o grupo ter solicitado dinheiro a pretexto de influir sobre os juízes atuantes em Boituva já corresponde ao crime de exploração de prestígio.

Valério é réu no processo do mensalão que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal). Ele responde pelos crimes de corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Outro lado

O advogado de Marcos Valério, Marcelo Leonardo, afirmou que só irá se pronunciar sobre o assunto após tomar conhecimento do teor da denúncia.

A reportagem não localizou a defesa do juiz aposentado para comentar a denúncia. As informações são da Folha Online.

Um comentário:

Anônimo disse...

Já pensou esse sujeito sócio do Daniel Dantas???