Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

10 de jul de 2009

Chapada Gaúcha inaugura hoje primeiro banco comunitário mineiro

Nos dicionários, um dos significados para a palavra vereda é rumo, caminho, direção. Na região do Vale do Urucuia, noroeste mineiro, além de dar nome à vegetação local, vereda vai ser, também, o nome da moeda social do Banco Comunitário Chapadense, primeiro do gênero no Estado de Minas Gerais e o 46º do país.
A inauguração da unidade será nesta sexta-feira (10), às 20h, como parte da programação do VIII Encontro dos Povos do Grande Sertão Veredas, que acontece até domingo, em Chapada Gaúcha. O evento terá a participação do diretor executivo de Desenvolvimento Social da Fundação Banco do Brasil, Jorge Streit. Prometendo mudar também rumo, caminho e direção da população de baixa renda de Chapada Gaúcha por promover o consumo e gerar o desenvolvimento econômico local, a Vereda do Banco Comunitário Chapadense poderá ser obtida por empréstimos ou troca de cédulas de Real.
Os serviços oferecidos à população serão o crédito produtivo solidário (com carteira de crédito de R$ 60 mil); crédito para o consumo local em moeda social (com carteira de R$ 3 mil); e serviço financeiros como recebimento de contas de água, luz, telefone e boletos bancários.
“Será um instrumento muito importante para o nosso desenvolvimento, porque vai valorizar o produto local e fazer com que os próprios comerciantes o aceitem melhor. A circulação da moeda social Vereda também contribuirá para que os recursos permaneçam na cidade”, afirma a secretária do Meio Ambiente e Turismo de Chapada Gaúcha, Rosemeire Magalhães Gobira.

Nenhum comentário: