Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

19 de ago de 2008

Patrus Ananias recusa apoiar Ricardo Veloso em Bocaiúva

O ministro Patrus Ananias, do Desenvolvimento Social, escreveu para a coluna do Jornalista Ricardo Noblat, afirmando que é coerente, sim. Rebatendo o comentário de Noblat, “Para que Patrus Ananias seja coerente”, publicada no último dia 13 de agosto.
"Prezado Jornalista Ricardo Noblat:
Tenho muito orgulho de ser de Bocaiúva, cidade onde passei a infância, adolescência e despertei para os grandes problemas de Minas, do Brasil e da própria condição humana. Em Bocaiúva residem minha mãe e meus irmãos e irmãs, tenho meu pai e minha irmã Patrícia sepultados e guardo inúmeros vínculos familiares e afetivos.
O meu domicílio e, dentro do sentido mais amplo da palavra, o meu domicilio político eleitoral é Belo Horizonte, cidade que me acolheu em 1972, onde fui vereador, relator da lei orgânica do município, prefeito e onde construí minha vida familiar, afetiva e profissional como advogado trabalhista, professor de direito, funcionário público da Assembléia Legislativa de Minas, aprovado em concurso público, e onde está cadastrado meu título eleitoral.
Esclareço que não sou “comandante” do PT de Bocaiúva. Sou membro do diretório nacional, fui secretario-geral e presidente do PT em Minas, portanto tenho também atenção com o PT em todos os municípios, inclusive na minha terra onde, entretanto, não exerço uma militância maior.
Não obstante isso, comuniquei formalmente, em nome da minha coerência, especialmente considerando a situação de Belo Horizonte, que não participarei da campanha em Bocaiúva. Darei apoio formal aos candidatos a vereador, mas não apoiarei a chapa".

Um comentário:

Anônimo disse...

É claro que Patrus não apóia nenhuma chapa de Bocaiúva, pois, a podridão é tanta para que ele que é homem limpo se sujaria com isso.