Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

31 de mar de 2008

Quase seis anos depois, acontecerá julgamento dos mandantes do assassinato de jornalista

Ouvido na manhã desta sexta-feira, o juiz da Vara de Execuções Penais de Montes Claros, Isaías Veloso, revela que sua expectativa é de que ainda neste ano aconteça o julgamento dos supostos mandantes do crime do jornalista Rosalvo Teixeira Bastos e sua noiva Daniela Costa Oliveira. O casal foi executado a tiros e facadas na Rua Dom Pedro II, Centro, no dia 04 de maio de 2002.
Segundo o juiz, o caso poderá ter um desfecho com o julgamento de pai e filho, Dalmar e Dalmar Ferraz Júnior, acusados de serem os mandantes do crime.
O juiz explica que o que contribui para que este e outros processos se arrastem no decorrer dos anos, é o número de recursos, entretanto, na sua opinião, com a mudança da lei processual, os processos podem ganhar rapidez e agilidade. Ele acredita que os recursos são os responsáveis também pela demora no julgamento dos réus no caso Igor Xavier. Ele salienta que aguardará as precatórias para a realização dos julgamentos ainda neste ano.
FAMÍLIA
A reportagem ouviu com exclusividade, na manhã desta sexta-feira, Marlene Bastos, irmã do jornalista assassinado. De acordo com ela, a notícia do provável julgamento dos supostos assassinos, é uma esperança que nasce, tendo em vista, que o seu irmão morreu de maneira cruel e injusta. - Quando escutamos isso, de um juiz sentimos alívio, pois, vemos que a justiça dos homens pode ser feita, uma vez que a de Deus, tarda mais não falha.
Indagada quanto ao sentimento da família depois da perda prematura do irmão, ela revela que o tempo passa, no entanto, a tristeza só aumenta. - Meu irmão era uma pessoa que não tinha maldade no coração, era um ser humano bondoso, nós da família buscamos forças e fé em Deus, uma vez que é ele o nosso consolo.
Fonte: Samuel Nunes - O Norte

Nenhum comentário: