Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

5 de jul de 2007

Enquanto mulher faz piada, líder do PMDB vai substituir outro integrante da tropa de choque do presidente do Senado em reunião dos novos relatores

Valdir Raupp (RO), líder do PMDB no Senado, um dos principais aliados de Renan Calheiros (PMDB-AL), vai substituir outro integrante da tropa de choque do presidente do Senado, Almeida Lima (PMDB-SE), em reunião dos novos relatores do processo contra Renan.
Raupp, Marisa Serrano (PSDB-MS) e Renato Casagrande (PSB-ES) reuniram hoje (5) com o presidente do Conselho de Ética da Casa, Leomar Quintanilha (PMDB-TO), para montar um cronograma de trabalho. "Não há mais como haver demora neste processo. Vamos trabalhar e buscar celeridade", disse Quintanilha. Segundo ele, Lima teve um crise renal e de hipertensão ontem e pediu para ser substituído hoje por Raupp na reunião. Porém, o relator será mantido na função. Os senadores pretendem convidar Renan a prestar depoimento no conselho para apresentar sua versão para a denúncia que teria utilizado dinheiro da empreiteira Mendes Júnior para pagar pensão e aluguel à jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha fora do casamento.
Como brasileiro não perde o humor, uma mulher faz piada com a crise do Renangate, em frente ao Congresso com uma faixa "come eu Renen". Ela quer ser a substituta de Mônica Veloso, pivô do escândalo que ameaça o mandato do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e que passou a ser parâmetro em outros pedidos de pensão a parlamentares que têm filhos fora do casamento.

Nenhum comentário: