Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

10 de jul de 2007

Deputado tenta salvar seu mandato

Envolvido na "Operação Castelana", deputado Durval Ângelo, negocia apoio do PT ao requerimento do procurador-geral

A oportunidade de ver-se livre de um procedimento investigatório e da denúncia apresentada pelo Ministério Público (MP), que poderia levar a perda de seu mandato, o deputado Durval Ângelo (PT/MG) da Assembléia Legislativa mineira trabalha abertamente pela aprovação do requerimento encaminhado à Casa Legislativa pelo procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Jarbas Soares.A situação do deputado é bastante delicada, uma vez que dos documentos apreendidos pela Polícia Federal (PF) no escritório do advogado, hoje deputado federal, Juvenil Alves, fazem parte diversos documentos que comprovam o financiamento de sua campanha pelo “esquema” montado.Também das gravações, constariam trechos de sua conversa com Juvenil Alves, combinando o financiamento de sua campanha para deputado estadual em 2004 e outro, onde o mesmo é citado como mediador de “pedidos” encaminhados à Secretaria da Fazenda de Minas Gerais, que deveriam ser também aprovados pela Assembléia Legislativa.Gravações demonstram que, embora oficialmente estivera no mandato passado na oposição, o deputado Durval Ângelo teria mediado e conseguido junto ao governo mineiro “facilidades” para o grupo PIF-PAF, de propriedade do ex- deputado e empresário Avelino Costa, preso na “Operação Castelana”.Parte do bloco PT/PC do B, do qual Durval Ângelo participa, se sente constrangida com seu comportamento em dar entrevistas falando em nome do bloco a respeito do requerimento do procurador-geral de Justiça. A posição adotada pelo procurador-geral não satisfaz a nossa expectativa do que deveria ser o papel do Ministério Público, alegou um dos integrantes da bancada PT/PC do B, que promete votar contra o requerimento.

Nenhum comentário: