Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

16 de jun de 2007

Professores em Educação da Rede Estadual realizam greve de 48 horas e um ARRAIÁ DA INDIGNAÇÃO contra o desgoverno Aércio Cunha

Os trabalhadores em Educação da Rede Estadual realizam, nos dias 19 e 20 de junho ( terça e quarta-feira da semana que vem), greve de 48 horas. O objetivo é pressionar o governo do Estado a negociar efetivamente a pauta de reivindicações da categoria. O dia 19 será dedicado à realização de atividades locais e/ou regionais, como atos públicos, panfletagens, manifestações, plenárias e diálogo com os colegas de escola e com a comunidade escolar. Em Montes Claros, os trabalhadores em educação da cidade e da região, realizam manifestação, com concentração em frente à Escola Plínio Ribeiro ( Escola Normal) a partir das 16h. E à noite, às 22h, em frente à Rodoviária, sairão em caravanas para manifestação Estadual em Belo Horizonte. No dia 20, a partir das 9h haverá manifestação Estadual em Belo Horizonte com a realização do ARRAIÁ DA INDIGNAÇÃO, na Praça Sete e demais atividades, como panfletagem e apresentações culturais, através das quais a categoria pretende dialogar com a sociedade e explicar os motivos que levaram a suspender as atividades nos locais de trabalho. A nossa Pauta de Reivindicação foi oficialmente protocolada no dia 23 de abril. Desde então, foram realizadas audiências com a Secretaria de Estado da Educação e com a Secretaria de Planejamento e Gestão para cobrar respostas objetivas. No entanto, não houve avanços nas negociações. Muitas reivindicações são demandas apresentadas em anos anteriores, não contempladas pelo governo, entre as quais: regulamentação dos artigos da Lei das Tabelas Salariais com reposicionamento imediato, considerando o tempo de serviço e habilitação; correção das tabelas salariais; realização de concursos públicos; reestruturação do IPSEMG, implementação de política de saúde. José Gomes Filho – Coordenador Geral do Sind-UTE de Montes Claros.

Nenhum comentário: