Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

9 de jun de 2007

Até onde vai a PF?

Sem provas contundentes, a polícia federal indica o irmão do presidente Lula em uma operação que revela claros sinais de disputa de poder interno
A ação desencadeada para investigar a máfia de caça-níqueis no País recebeu o sugestivo nome de Operação Xeque- Mate. Entre os apreciadores do jogo de xadrez, todos sabem que xeque-mate é o lance decisivo, quando o rei é derrubado. A pergunta que se poderia fazer é: quem seria o rei nesta operação? "Rei é o chefe", respondeu o ministro da Justiça, Tarso Genro. Há quem conclua que o rei poderia ser o presidente Lula - hipótese reforçada pelo atabalhoado indiciamento de seu irmão Genivaldo Inácio da Silva . O rei também poderia ser o próprio ministro da Justiça, visto com desconfiança por muitos delegados. O fato é que, por trás dessa ação da PF que mobilizou dez delegados e 600 agentes a ação desencadeada para investigar a máfia de caça-níqueis no País recebeu o sugestivo nome de Operação Xeque- Mate. Ao contrário do xeque-mate do xadrez, que exige paciência e, sobretudo, perspicácia, na Operação Xeque-Mate os federais deixaram um rastro de "ação tabajara" nas investigações. Inicialmente, imaginavam ter provas até para colocar Vavá na cadeia.
"Não é vantagem ser parente de Lula"
Maria da Silva é casada com Genival Inácio da Silva, o Vavá, há 45 anos. Na quarta-feira 6, ela conversou com IstoÉ por telefone. Contou que o presidente Lula visitou Vavá em casa há menos de dois meses. E disse que ser parente de Lula é um fardo. Eu vejo presidente aí que emprega a família inteira, não é assim? É sobrinho, é cunhado, é irmão... E da parte do Lula não pode. Tem uma filha da irmã dele, que está desempregada já faz cinco anos. Isso é vantagem?

Nenhum comentário: