Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

24 de out de 2007

Greve de advertência dos Oficiais de Justiça - Categoria reivindica reajuste da verba de transporte

O Sindicato dos Oficiais de Justiça Avaliadores do Estado de Minas Gerais (Sindojus/MG) realiza hoje, quarta-feira, a partir das 13h, no Fórum Lafayette, em Belo Horizonte, uma greve geral de advertência, para protestar, sobretudo, contra os enormes prejuízos que a categoria vem sofrendo, em decorrência de uma omissão da administração do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Segundo o presidente do Sindojus, Cláudio Martins de Abreu, o TJMG está reembolsando para a categoria o “ínfimo e desrespeitoso” valor de R$ 3,00, por mandado, pelos gastos com condução para cumprimento dos mandados judiciais oriundos da Assistência Judiciária – ordens judiciais pelas quais não há recolhimento de custas, por serem de interesse de pessoas pobres, que não dispõem de recursos para pagá-las.

“Recebemos R$ 3,00, valor que nem sequer cobre o pagamento de duas passagens de ônibus. Entendemos que o intuito da Justiça é nos explorar, nos pagando um valor bem inferior ao que gastamos com a nossa locomoção”, declarou.

O presidente do Sindojus disse que a paralisação desta quarta-feira de 24 horas, em todo o Estado, pode causar alguns transtornos, como adiamento de audiências e atraso nos andamentos processuais.

Nenhum comentário: