Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

12 de out de 2007

Filhotes da ditadura, agora, no TST



Membros de uma "estirpe" fascista que já deveriam ter sido expurgados da Justiça do Trabalho se escondem atrás da toga
O fruto de todo tipo de prática delituosa e trapaça na utilização da Justiça do Trabalho, no período do golpe de 64, procura renovar-se, escondendo atrás de uma jovem fisionomia, porém, mantendo as mesmas práticas fascistas, adotadas pelos capitães da indústria, ao estilo de Mussolini.
Mesmo diante desta realidade, o ministro Vieira de Mello Filho (foto) é promovido para a mais alta corte da Justiça do Trabalho brasileira, representando um perigo real contra a entrada por definitivo do Tribunal Superior do Trabalho (TST) no regime democrático de direito e, por conseqüência, na aplicabilidade da esperada reforma dos direitos trabalhistas.
Sua origem e práticas, além de seu comprometimento com entidades partidárias e patronais, o desabilitam a participar da mais alta Corte do Trabalho. Imaginem, participou na condição de relator do Fórum Nacional do Trabalho, que ofereceu propostas para reforma sindical.
Agora, no governo Lula, apresenta-se como progressista perante a sociedade, mas por trás reafirma os compromissos passados, articulando e atendendo a classe patronal.
Leia a matéria completa AQUI no Novo Jornal

Nenhum comentário: