Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

23 de fev de 2008

A vida perdida para a ignorância

Igor Xavier era um artista talentoso e uma pessoa querida pela comunidade de Montes Claros, MG. Foi assassinado com cinco tiros em março de 2002 por Ricardo Athayde Vasconcelos, réu confesso.
O promotor público, Wesley Leite Vaz, está convicto de que o filho de Ricardo, Diego Athayde, participou do crime. A defesa nega. Diz que Ricardo descontrolou-se ao ver seu filho (um adulto) sendo assediado. O promotor acredita em outra versão. A família e a sociedade local pensam que a morte de Igor, homossexual assumido, foi um ato extremo de homofobia.
Passados seis anos, o juri ainda não aconteceu. Ricardo espera o julgamento em liberdade. Na família do assassino há políticos, que os pais de Igor desconfiam que possam, de alguma forma, ter influenciado para este longo tempo de impunidade. O primeiro advogado de defesa, Maurício de Oliveira Campos Júnior, é hoje Secretário de Segurança do governador Aécio Neves.
Veja AQUI o vídeo sobre a última reportagem da série sobre homofobia, que o Coletivo Catarse produziu para a TV Brasil, tentamos registrar um pouco do sentimento da família e dos amigos de Igor, a falta que ele faz para as pessoas que o amavam (o amam), e a inconformidade com um ato bárbaro que revela, ainda, o estágio de ignorância em que se encontram alguns de nós.

Nenhum comentário: