Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

8 de jun de 2009

PT pode sacrificar petistas nos estados

Por apoio à Dilma Rousseff, partido quer costurar alianças, mesmo que à custa do sacrifício dos próprios petistas
Disposto a consolidar ampla coligação em apoio à ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), o comando do PT fixou como estratégica a costura de alianças nos seis principais Estados do país, ainda que à custa do sacrifício dos próprios petistas.
Para viabilizar a campanha de Dilma à Presidência, o PT nem sequer descarta a hipótese de renunciar à candidatura em São Paulo - berço da sigla - em favor do lançamento do nome de Ciro Gomes (PSB-CE) ao governo do Estado.
Para Minas, prega o apoio ao peemedebista Hélio Costa, em detrimento de dois petistas: o ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Social) e o ex-prefeito Fernando Pimentel. Hoje ministro das Comunicações, Hélio Costa, poderia ser convidado para a vice de Dilma, caso o atual governador Aécio Neves (PSDB) ocupe a vice de José Serra (PSDB) na corrida presidencial.
Do contrário, a intenção da cúpula petista é lançar Hélio Costa para o governo, numa composição em que o PT concorreria ao Senado.
"Em São Paulo, o PT pode abrir mão do candidato se isso criar uma situação de expansão da aliança. Se o Ciro quiser ser candidato ao governo, se o [presidente do PMDB, Orestes] Quércia quiser, o PT pode discutir. Em Minas, seria bem mais fácil", admitiu o líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza, em consonância com Antonio Palocci e José Genoino.
"Temos que trabalhar com partidos potencialmente aliados para avaliar qual será o cenário necessário para viabilizar uma coligação grande de apoio a Dilma", justificou o presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, para quem seria "contraditório" o rompimento do PT com o PMDB do Rio de Janeiro.
Além de São Paulo, Minas e Rio, o PT elegeu como fundamentais acordos no Paraná, no Rio Grande do Sul e na Bahia.
No Paraná, o cenário apontado como ideal é de lançamento do senador Osmar Dias (PDT) ao governo, oferecendo ao governador Roberto Requião (PMDB) vaga para o Senado.
Na Bahia, o PT investe na reaproximação do governador Jacques Wagner (PT) com o ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional).
Para o Rio Grande do Sul, idealiza dois palanques para Dilma, do PMDB e do PT, mesmo que o preço seja o isolamento dos petistas no Estado. Na sexta-feira (5), ao discursar no encontro da corrente CNB (Construindo o Novo Brasil), a maior do partido, o ex-ministro José Dirceu usou, segundo participantes, a expressão "enfiar a faca" para eliminação de resistência à construção de ampla aliança em torno de Dilma.
Escolhido candidato da corrente à presidência do PT, o presidente da BR, José Eduardo Dutra, foi mais brando: "O foco é a eleição de Dilma".
O assédio a Ciro foi enfaticamente defendido durante a reunião. Nascido em Pindamonhangaba (SP) e com domicílio eleitoral no Ceará, Ciro teria de transferir o título para São Paulo. Seu nome é hoje cotado para a Presidência, mas não conta com apoio integral do PSB.
Para atrair o PSB, Berzoini defende a reedição de alianças em Pernambuco, no Ceará e no Rio Grande do Norte. Sob o argumento de que é necessário reserva de energia para campanha de Dilma, a CNB prega a união em benefício de Dutra, seu candidato.
Integrante do PT de Luta e de Massas, Vaccarezza propõe a composição também para presidente do partido. Mas a avaliação é que a disputa será inevitável.
As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

4 comentários:

Anônimo disse...

O PT em mar de lama!

É inadmissível que seu PT aceite esconder os gastos dos seus representantes, principalmente quando estes foram usados para financiar campanhas próprias! Na CLI aberta na Câmara Municipal de Montes Claros, o vereador Alfredo Ramos foi convidado pelo Prefeito a fazer parte da mesma. Como é uma CLI para atacar o governo Athos Avelino, como o PT se presta a participar de uma comissão dessa. É só para esconder a falcatruas dos seus representantes.
No documento da CLI consta R$ 20.447.025,25(vinte milhões quatrocentos e quarenta e sete mil, vinte cinco reais e vinte cinco centavos) deixados de dívida da administração passada. Porém R$1.376.637,75(um milhão, trezentos e setenta e seis mil, seiscentos e trinta e sete reais e setenta e cinco centavos) corresponde a apropriação indébita do PREVMOC, parte, quase a metade, utilizados para financiamento da candidatura a vereador do seu antigo Presidente, que por sinal é do PT.
Não entendo como você, Gusmão, que tem coragem de criticar tudo, até mesmo o prefeito, aceitou ficar calado em uma coisa dessa. O prefeito comprou o vereador em troca de não mexer nos R$1.376.637,75! Além dos R1.302.005,32 da ESURB. Trato é trato. Sem o dinheiro da PREVMOC quem seria o vereador do PT na Câmara seria o Aldair, por merecimento. O PT está em mar de lamas, inclusive com vocês aceitando e dando o aval para tudo isso. O TRE_MG está cassando tudo. Aproveitem essa onda! Acordem ainda dá tempo! Faça o Diretório do PT solicitar do vereador a cópia do relatório da CLI. Tomem providência. A CLI está focando a Secretaria de Administração, de Gilmar, e esquecendo, fingindo de bobo, em relação ao PREVMOC e a ESURB.

MontesClarense da nata.

Anônimo disse...

Meu caro Luis
Meses atrás eu te alertei, a não chamar o PMDB de PMDBosta quando o Heĺio Costa lançou sua candidatura ao governo de Minas, lhe disse que você fosse de vagar pois poderia ainda votar no PMDBosta indiretamente, voce como um ódio demasiado no corrupto Tadeu não conteve e atacou o PMDB e agora está aí o que eu previa.
Abraços e tudo por Dilma.

Anônimo disse...

Tõ sentindo falta das enquetes no blog, faz uma sobre os candidatos do norte de minas, coloca opção outros.

Anônimo disse...

Pelo andar da carruagem até agora, o melhor adversário de oposição ao candidato do governo (no caso a Dilma) é o Aécio. Está torrando a grana toda na propaganda e não saiu do lugar. É óbvio que seu partido irá contabilizar isso. Semana passada, por exemplo, duas pesquisas de peso mostraram a mesma tendência já repetida no início do ano (14-16% e nada mais). Heloísa Helena surge agora em empate técnico!!! Qual é o poder de força dela?? (máquina na mão?)no maior colégio eleitoral nordestino?? Caríssimos: não amedrontem o Aécio; façam figa para que ele consiga convencer seu partido de que sua candidatura é a melhor alternativa e deixe o Serra disputar a reeleição. Analise, também, a posição do Serra na pesquisa.