Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

24 de jun de 2009

Ficha Limpa: Catedral faz coleta de assinaturas

Nas missas do último final de semana, a Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida coletou cerca de 500 assinaturas para a Campanha Ficha Limpa, em atendimento a expressa solicitação do Arcebispo Dom José Alberto Moura. O pároco, Padre Dorival Souza Barreto Júnior, explica a importância de os fiéis participarem da iniciativa do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) – que abriga quase 40 entidades, entre as quais a Comissão Brasileira de Justiça e Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) – contra a candidatura de políticos em débito com a Justiça.
“Este movimento popular nos possibilita manifestar a insatisfação com os políticos corruptos. Queremos que os candidatos a um cargo eletivo, aqueles políticos que já estejam condenados em primeira instância, sejam impedidos de se candidatar. A lei como está hoje permite que o condenado em primeira instância use de subterfúgios para adiar o castigo. Que os nossos políticos se inspirem nas palavras do Evangelho: ‘Entre vós, os que querem ocupar o primeiro lugar, seja para servir’ (Mc 10, 43)”, destaca o sacerdote.
Além do envolvimento direto das paróquias abrangidas pela Arquidiocese de Montes Claros, o Comitê de Combate à Corrupção Eleitoral e as pastorais sociais montaram postos de recolhimento de assinaturas no Secretariado Arquidiocesano de Pastoral, na rua Januária, 371, de terça a sexta-feira; na Associação Bom Pastor - Rua Grão Mogol, 287, de segunda a sexta-feira; e na Casa de Pastoral Comunitária, de segunda e sexta-feira, na rua Grão Mogol, 3, ao lado da Catedral, sempre das 8 às 12h e das 14 às 18h. A Campanha Ficha Limpa na Igreja Particular de Montes Claros recebeu apoio do Ministério Público e da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais. O prazo para que os cidadãos participem é 30 de junho. Os interessados podem obter mais informações pelo telefone (38) 3221-2982.
CASSAÇÃO – A Campanha Ficha Limpa ocorre desde o ano passado, quando projetos de lei que versam sobre o tema passaram a tramitar na Câmara e no Senado. O objetivo é apresentar ao Congresso Nacional projeto de lei de iniciativa popular que considera a vida pregressa do candidato como critério para o registro de sua candidatura e, por conseguinte, alterar a Lei de Inelegibilidades (Lei complementar nº64/90).
Entre outras propostas, o projeto de lei do MCCE impede que pessoas já condenadas em primeira instância por crimes graves candidatem-se e parlamentares que renunciem ao cargo fujam da cassação. A íntegra do PL, que já tem mais de 750 mil assinaturas, está no endereço eletrônico http://www.mcce.org.br/. Com apoio velado da Igreja Católica, a Campanha Ficha Limpa precisa atingir pelo menos 1,3 milhão de assinaturas, ou 1% da população brasileira, a fim de que o projeto seja votado no Congresso Nacional.
Em 1999, o MCCE promoveu ação similar que resultou na criação da Lei 9.840 e na criação de penas severas para os crimes de compra de votos e uso indevido da máquina administrativa. Na luta pela Conscientização Eleitoral, o MCCE já conseguiu a cassação de mais de 600 políticos em todo o Brasil.
Fonte: Jornalista Valéria Borborema - Assessora de Imprensa da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida - Arquidiocese de Montes Claros
Enquanto isso... o caloteiro de Montes Claros continua impune.

Nenhum comentário: