Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

29 de abr de 2009

PROJETO TAMAR

ITAMAR FRANCO A CAMINHO DO PPS PARA SER VICE DE JOSÉ SERRA
Editorial de Geraldo Elísio para o Novo Jornal
EU SOU O MEU PROJETO
“Este rapaz guarda ódio na geladeira” – Tancredo Neves referindo-se ao então senador Itamar Franco.
Itamar Franco, “o galã do Paraibuna” ou “O Homem do Juízo de Fora”, segundo a revista Veja, parece ter como missão trair. Ele é o seu próprio projeto.
O primeiro embate foi com o doutor Tancredo Neves, logo após a eleição do adversário para o Palácio da Liberdade, derrotando Eliseu Resende.
Depois Itamar, que se diz “apaixonado” pelo PMDB, alegando a sua condição de fundador do MDB e posteriormente PMDB, conhecedor de que seria derrotado por Newton Cardoso na escolha do candidato do partido à sucessão de Hélio Garcia, em 1986, traiu o seu próprio partido, criou uma dissidência e fundou um partido de fachada, terminando por ter sido derrotado por Cardoso.
Na sequência da sua história política foi o vice de Fernando Collor de Mello que acabou “impichado”, Itamar cumprindo como presidente da República os dois últimos anos que faltavam para o cumprimento do mandato.
PC Farias era o tesoureiro da campanha.
Collor sempre destacou ter sido traído por Itamar. O ex-deputado estadual Geraldo Santana, em um livro escrito sobre a trajetória política dele, Santana, em determinando momento, deixa transparecer que Itamar trabalhou mesmo para derrubar Fernando Collor.
Como herança de sua passagem pela Presidência da República, Itamar legou ao Brasil a figura de Fernando Henrique Cardoso, o FHC, que logo depois de eleito se transformou em seu principal adversário.
Inclusive, para “evitar uma invasão de Minas por parte de Fernando Henrique”, o então governador Itamar Franco, que “superando as divergências” de 86, já estava unido a Newton Cardoso, que foi o seu vice, colocou carros anti-motim da Polícia Militar em frente ao Palácio da Liberdade e “ninjas” nas sacadas do edifício.
Ao ridículo levou a revista Veja a premiá-lo com uma capa onde o mesmo aparece vestido como “Napoleão de Hospício” e o título “O homem do juízo de fora”.
Sobre as pazes com Newton Cardoso foi fácil de fazer. Em 1986, enquanto Minas “rachava ao meio”, os dois tinham um acordo que foi redigido em casa do ex-deputado estadual João Jaciel Pereira, que recentemente trouxe este fato a público, contando o episódio em uma reunião informal do IPLEMG.
Jaciel completou que a redação ficou a cargo do ex-coordenador da campanha itamarista, o professor Ivan Barbosa Afonso.
Newton diz que o acordo descumprido deixa mal a Itamar.
Outro acordo foi firmado posteriormente e confirmado por Newton, para ele ceder o lugar a Itamar e sair como vice, o que acabou acontecendo.
Da mesma forma que aconteceu nova briga entre eles, beneficiando-se disto o atual governador Aécio Neves, que foi eleito e reeleito governador de Minas.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que durante a campanha eleitoral recebeu apoio de Itamar, logo depois de eleito foi mimoseado com outra traição. Itamar chegou a dizer que ele estava parecendo um Nabucodonosor.
Agora Itamar Franco, se prepara para nova traição, desta vez envolvendo Aécio Neves, avaliando um convite para integrar o PPS – convite de Roberto Freire – e ser o candidato a vice de José Serra.
Logo Itamar que tirou uma foto junto a Aécio e José Alencar, com a legenda: “Unidos contra São Paulo”.
Roberto Freire diz que isto não é movimento de xadrez, frisando que Itamar “vai mesmo para o jogo”. Na tentativa de unir os dois maiores colégios eleitorais do País contra a situação, é de se lembrar também que Itamar, quando da fundação do PSDB de Serra, disse que não iria por entender que havia muitos PHD’s entre os tucanos.
Porém, como sina é sina, Itamar – a conferir – deverá seguir o seu destino, o de trair.

5 comentários:

Anônimo disse...

PPS é um partido muito vagabundo.

Anônimo disse...

VAI JUNTAR DUAS MERDAS ITAMAR E PPS, TENHA PENA.PPS UM PARTIDO INDECENTE.

Anônimo disse...

Pessoal,

Itamar é o único politico do Brasil que "infuna" e quem infuna é bicha inrrustida, nessa hora é que a gente lembra que o Coldovial era macho prá ...alho (como disse o Ciro gomes)
Se o Itamar sair do PMDB de novo não será novidade, como diz o Newtão Cardoso: Vai sozinho... não leva ninguém.
É uma pena pois o Itamar as vezes tem uns lampejos de estadista, como por exemplo na defesa do patrimônio público, contra as privatizações: Furnas não foi privatizada porque o Itamar "infunou" e disse que iria para lá com o pessoal da gloriosa policia Militar de Minas e detonaria tudo.
Mas que ele é lunga, isso é!!
Né Lunga Gusmão?

Tatá

Anônimo disse...

Cruz credo com esse PPS, basta o que fez em Montes Claros, isolou o PT (Que aceitou passivamente) e depois conseguiu redividi-lo, com a perda da administração. a Rainha Marcia Saraiva é que governava e o Athos e Sued calava.

Anônimo disse...

vamos protejer as tartarugas do jeito certo pra que elas vivam feliz como o senhor fez