Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

23 de abr de 2009

Barbosa não negou a raça e meteu os cotôfos em Gilmar

Parabéns, Ministro Joaquim Barbosa. Vossa Excelência lavou a alma de todos os brasileiros. Não tem preço.
22/04/2009
Ministros do STF batem boca; Barbosa diz que Mendes destroi credibilidade da Justiça - Folha Online
O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, e o ministro Joaquim Barbosa bateram boca nesta quarta-feira no plenário do tribunal. Barbosa acusou o presidente da Corte de estar "destruindo a credibilidade da Justiça brasileira" durante o julgamento de duas ações --referentes ao pagamento de previdência a servidores do Paraná e à prerrogativa de foro privilegiado.
Veja AQUI o vídeo da discussão.
"Vossa excelência me respeite. Vossa Excelência está destruindo a Justiça deste país e vem agora dar lição de moral em mim. Saia à rua, ministro Gilmar. Faça o que eu faço", afirmou Barbosa.
Em resposta, Mendes disse que "está na rua".
Barbosa, por sua vez, voltou a atacar o presidente do STF. "Vossa Excelência não está na rua, está na mídia destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro."
Irritado, Mendes também pediu "respeito" a Barbosa. "Vossa Excelência me respeite", afirmou.
"Eu digo a mesma coisa", respondeu o ministro.
Os ministros Carlos Ayres Britto e Marco Aurélio Mello atuaram como "bombeiros" para tentar encerrar o bate boca. "A discussão está descambando para um campo que não coaduna com a disciplina do Supremo", disse Marco Aurélio ao pedir o encerramento da sessão.
Outros desentendimentos
Não foi a primeira vez que ministros do STF discutiram. Em agosto de 2007, Mendes e Barbosa bateram boca por uma lei que beneficiava servidores de MinasNo dia seguinte, Mendes minimizou a discussão. "Quem acompanha as sessões do STF sabe que há debates mais exacerbados, falas mais enfáticas."

Um comentário:

Álbano disse...

Cadê os defensores das liberdades democráticas, da justiça transparentes, do estado de direito?

O Joaquim Barbosa botou o dedo na ferida. Simplesmente, questionou a forma de encaminhamento de um processo que deveria retornar a ele, como Relator.

O Gilmar Mendes, dono das leis, Presidente Supremo, quis executar as leis como se faz no coronelismo, como se faz em sua terra natal, Diamantino-Mato Grosso. O poder local lá tá todo na mão de sua família. Francisco Mendes, seu irmão, foi prefeito por duas vezes, comprando uma eleição atrás da outra. A única Faculdade particular na cidade é de propriedade do Presidente Supremo 0Gilmar Mendes. A diretora geral é sua cunhada, a mulher de Francisco.
Os latifundiários, plantadores de soja, transgênicos e que tais, são a base econômica do poder político da sua família.

Esta postura do Gilmar Mendes não nenhuma novidade.

Veja algumas opiniões de comentaristas de blogs:
“Capanga é sofisma: o irmão de Gilmar,Francisco Mendes, prefeito 8 anos em Diamantino MT, tem 30 processos QUE nunca O INCOMODARAM. O candidato dos Mendes, Lincoln foi derrotado por Erival. Gilmar trouxe de Tangará da Serra pra Vara Eleitoral de Diamantino o "capanga" Juiz Luiz Kirche que CASSOU Erival e deu POSSE ao Lincoln dos Mendes. Foi embora de FÉRIAS. Voltará pra Tangará ou PRA O STF?”.

“Gilmar Mendes é um carreirista. Originalmente Procurador da República, cedo deixou aquela nobre carreira para ser assessor jurídico no Governo Collor e FHC. Fez da sua passagem pela Advocacia Geral da União um trampolim para o STF, apenas isso e nada mais. Quanto ao Joaquim Barbosa, fui aluno dele na Universidade e sempre me pareceu uma pessoa genuína e profundamente identificada com os movimentos sociais e contra o racismo, o que para mim é um elogio”.

“Joaquim Barbosa é o primeiro negro Ministro do STF. Tem origem no Ministério Público, militante da reforma do judiciário, com controle externo, democrático, descentralizado, público e gratuito. É de Paracatu, noroeste de Minas. Sua história de vida, de menino pobre e negro, e sua luta para estudar e trabalhar é comovente. É um dos poucos negros que ocupam altos cargos que declara abertamente a discriminação racial que sofreu”