Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

25/02/2009

Beneficiário do Bolsa Família vai ter curso profissionalizante

Nas próximas semanas, Lucimara Regina Soares, 21, vai começar um curso de auxiliar de escritório gratuito que pode lhe garantir seu primeiro emprego com carteira assinada.
A qualificação faz parte do Plano Setorial de Qualificação e Inserção Profissional (Planseq Bolsa Família), desenvolvido pela primeira vez este ano pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), em parceria com entidades da construção civil e escolas técnicas.
O público-alvo são beneficiários do Bolsa Família em 20 regiões metropolitanas.
Na Grande Belo Horizonte, a formação ficará a cargo do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).
A meta é capacitar 200 mil pessoas em todo o país até o fim do ano em diversas funções na construção civil, desde cargos administrativos até operadores de máquinas.
Pelo menos 45% das pessoas devem sair do curso com emprego garantido.
Em Minas Gerais são 6.271 vagas. Cerca de um terço delas já foram preenchidas. Lucimara Soares foi uma das primeiras a fazer a inscrição.
"É a minha chance de finalmente conseguir um emprego", acredita.
Ela recebe Bolsa Família e faz "bicos" como babá e faxineira, que lhe rendem no máximo R$ 150 por mês. "Nunca trabalhei fichada porque nunca fiz nenhum curso", acredita. Para o gerente do Senai da Construção Paulo de Tarso, em Belo Horizonte, Nelson Boechat, o Planseq Bolsa Família é uma opção para quem tem pouca qualificação deixar de ser dependente do benefício oficial. "É a oportunidade de virar cidadão por meio da inserção no mercado de trabalho", diz.
Os beneficiários do Bolsa Família receberão carta do MTE com informações sobre o Planseq e podem fazer a inscrição nos postos do Serviço Nacional do Emprego (Sine).
Em Minas Gerais serão formadas 314 turmas com 20 alunos cada, e as aulas serão em 14 unidades do Senai na região metropolitana de Belo Horizonte.
O horário das aulas será definido de acordo com a preferência dos inscritos.
Os cursos são gratuitos e a pessoa recebe vale-transporte e lanche.
Por dois anos o Bolsa Família será mantido, independente de a pessoa conseguir ou não uma vaga no mercado de trabalho.
Fonte PIG: O Tempo

Um comentário:

Anônimo disse...

nao é bem um comemterio ,na verdade o que eu gostaria de saber é o seguinte recebir a minha carta do governo federal e acabei perdendo de tanto andar pra cima e pra baixo pra saber mais imformaçao a respeito dos cursos profissionalizantes já que beneficiaria do bolsa familia,agora quero saber como fazer pra receber de novo