Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

20 de set de 2006

Barões da mídia, PFL e PSDB tentam novo golpe

Os neogolpistas: Herr Bornahusen, presidente do PFL, Mello (primo do Fernando Collor), presidente do STE, e Gereissat, presidente do PSDB.

O Ministro da Defesa, Waldir Pires, do alto de sua longa experiência política, considerou o pedido de impugnação da candidatura de Lula como uma tentativa de “interromper o processo democrático”. Em outras palavras, uma tentativa de golpe. Segundo Waldir Pires, o pedido de impugnação feito pelos líderes do PFL e PSDB não passa da velha tradição dos donos do poder de tentar interromper a democracia. “Eles jamais respeitaram a legitimidade do voto popular”.Para o jurista e professor de Direito da Universidade de São Paulo, Dalmo Dallari, o pedido feito pelo PSDB e pelo PFL ao Tribunal Superior Eleitoral de investigar o caso do dossiê contra José Serra não passa de "encenação eleitoral" e que é preciso cobrar a divulgação do que realmente interessa: o conteúdo do documento. Para ele, as ameaças de ação judicial estão sendo usadas como cortina de fumaça para que não se pergunte sobre o CONTEÚDO do dossiê. Dalmo Dallari afirma que tudo não passa de intrigas, sugestões, acusações vagas e vai mais longe: o presidente do TSE, ministro Marco Aurélio Mello está abandonando a prudência, que é requisito essencial de um bom juiz.

Nenhum comentário: