Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

25 de fev de 2010

Corrupção foi a marca das gestões de Alberto Caldeira

Bocaiúva, terra de Patrus Ananinas, Henfil, Bentinho, José Maria Alkimin e tantos outros filhos ilustres, novamente é manchada pela corrupção por parte do ex-prefeito Alberto Caldeira, do PMDB.
Desta vez, a fraude foi com recursos da Educação.
O atual secretário municipal de Educação daquela cidade morena, João Roberto descobriu que o ex-prefeito Alberto Caldeira, "matriculou" 800 alunos e vários professores e Diretores fantasmas para aumentar o repasse de verbas do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) . Por cada aluno desse segmento no Estado de Minas Gerais, o Ministério da Educação repassa quase mil reais por ano.
Nas Gestões do ex-prefeito, mais de R $ 10 milhões foram repassados indevidamente. "Se não existe aluno, esta verba pode ter ido para qualquer lugar, menos para o Tesouro do Município", comentou um servidor daquela secretaria, que pediu para não ser identificado.
É por isso, que todo final de ano os professores sérios sofrem a mesma patifaria no momento do rateio do programa, pois quase nada há para se dividir em razão dos desvios e fraudes cometidos pelas ratazanas dos recursos públicos.
Alberto Caldeira já foi acusado pela Procuradoria Especializada em Crimes de Agentes Municipais de fazer licitações com cartas marcadas na saúde. Recentemente, o Ministério Público Federal em Montes Claros ajuizou Ação de Improbidade Administrativa contra o ex-prefeito por irregularidades que ocorreram durante a utilização de verbas públicas repassadas pela Funasa para implantação parcial de um Sistema de Abastecimento de Água no Distrito de Engenheiro Dolabela no valor de R $ 100 mil, mas Alberto trocou os tubos de PVC por tubos de cimento amianto oriundos da antiga Usina Malvina. Tal substituição acarretou problemas na operação do Sistema de Água, com diversos vazamentos e rompimentos na tubulação. A troca do material, inclusive reduziu o curso de implantação das obras PREVISTAS nenhum convênio, com sobra de recursos financeiros Sido teriam que, posteriormente, utilizados em outras obras.
O próprio ex-prefeito admitiu ter descumprido o Plano de Trabalho aprovado pela Funasa, com o emprego de recursos materiais de qualidade inferior para economizar e redireciona-los a outros fins. Mesmo assim, ele continua solto, como muitos gestores que fraudaram ou fraudam de todas as formas o Erário, e continuam reinando em todas as modalidades de fazer inveja Arruda e deixar o juiz Lalau sentindo um trombadinha perto alguns gestores do Norte de Minas. Que o diga o prefeito de Montes Claros que construiu até Prédio fantasma nas barbas do Poder Judiciário.
E a PF parece que faz vista grossa.
Leia também:
Pimentel não será candidato a governador
TJMG confirma condenação de políticos de Patis
Morte em Pandeiro tem dedo da Prefeitura
Folha esconde informação contra Zé Dirceu

Nenhum comentário: