Search

Compra de votos ou coincidências? - Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso - Lula, o preconceito dos poderosos e o complexo de "vira-latas" -Eleição termina em pancadaria em Fruta de Leite - Marina,... você se pintou? Câmara Municipal de Buritizeiro cassa mandato do Padre Salvador - Repercute suspeita de caixa 2 na campanha de Hélio Costa - Lula diz que imprensa brasileira gosta de publicar "notícia ruim" sobre o país - Bicheiro confessa que doou R$ 250 mil para o caixa 2 de Tadeu Leite - Diante das denuncias de corrupção e fantasmas na Prefeitura de Montes Claros, o jornalista Pedro Ricardo pergunta: Cadê o Ministério Púbico? - PT dá o troco no PMDB e abandona Hélio Costa - Caixa 2 pode inviabilizar campanha de Hélio Costa - Dilma dispara e abre 20 pontos - A nova derrota da grande mídia

8 de out de 2010

Onda vermelha - Bloco de esquerda e partidos de centro se fortalecem no Congresso

O PT foi um dos partidos que mais se beneficiaram do encolhimento da oposição demo-tucana no Congresso Nacional. Mas o resultado das eleições de 3 de outubro também foi favorável ao chamado bloco de esquerda (PSB, PCdoB e PDT), bem como aos partidos de centro.

As três legendas mais importantes do bloco — PSB, PCdoB e PDT — somaram pouco mais de 66,5 milhões de votos em todos os cargos disputados nas eleições de domingo. Assim, o eleitor concedeu à esquerda 77 vagas na Câmara e dez no Senado.
Em termos de votos, o PCdoB também surpreendeu nas urnas e foi o quarto partido mais votado para o Senado, atrás apenas de PT, PSDB e PMDB. Os nove candidatos comunistas a senadores acumularam 12,5 milhões de votos.
Já os quatro principais partidos de centro, presentes em todos os governos desde a redemocratização do país, prosseguem cacifados pelas urnas. Juntos, PMDB, PP, PR e PTB tiveram quase 124,3 milhões de votos, assegurando 182 de 513 vagas na Câmara e 35 dos 81 assentos no Senado.
Dessas siglas, nenhuma somou mais eleitos que o PMDB — que, neste ano, indicou o presidente da Câmara, Michel Temer, para a vice da presidenciável Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando. Os candidatos peemedebistas tiveram a preferência de mais de 65,8 milhões eleitores (votos nominais e de legenda), com 79 cadeiras garantidas na Câmara e 20 no Senado.

Nenhum comentário: